Saúde  

Zika e microcefalia já não são mais emergência em saúde

.
Foi anunciado nesta quinta-feira, 11, o fim da emergência nacional na saúde pública por zika e microcefalia. O Ministério da Saúde, que havia declarado estado de emergência em 2015, depois de um significante aumento nos casos de microcefalia no Nordeste e, posteriormente relacionada à infecção pelo vírus da zika, registrou queda no número de casos em 2017.

Segundo a pasta, do início do ano até o dia 15 de abril, 7,911 casos de zika foram registrados no Brasil. O número representa uma redução de 95,4% em relação ao ano passado, que, na mesma época, registrou 170,535 casos da doença.

De microcefalia, foram confirmados 230 novos casos, e 3,837 ainda continuam em investigação. Das 13,490 notificações de casos suspeitos e microcefalia recebidos pelo Ministério da Saúde, 2,653 foram confirmados.

O governo diz que o Brasil “não preenche mais os requisitos exigidos para manter o estado de emergência”. Eles são: impacto do evento sobre a saúde pública; se é incomum ou inesperado e se há risco de propagação internacional.

O numero de casos das três doenças transmitidas pelo Aedes aegypti sofreu uma redução de 88,9% em comparação com o mesmo período em 2016, segundo o boletim epidemiológico elaborado pelo Ministério da Saúde. Foram 113.381 casos suspeitos de dengue, 43.010 de chikungunya e 7.911 de zika.

 

Fonte: Opinião&Notícia

Deixe um comentário