Walter Pinheiro é o novo líder do PT no Senado

O baiano Walter Pinheiro é o novo líder do PT no Senado. Pinheiro foi escolhido ao final de reunião da bancada ocorrida esta manhã (1). Ele substitui o senador Humberto Costa (PT-PE). A reunião, que contou com a presença do presidente do PT, Rui Falcão, destinava-se também a tentar resolver a pendência entre Marta Suplicy (PT-SP) e José Pimentel (PT-CE) em torno da primeira vice-presidência do Senado. Mas não houve acordo quanto a isso.

Pinheiro destacou-se em 2011 por sua atuação como relator do Plano Plurianual (PPA) para o período 2012-2016. No ano passado, ele também relatou a Lei de Acesso à Informação e a regulamentação da TV por assinatura. Natural de Salvador (BA), Walter de Freitas Pinheiro começou a carreira profissional na antiga Telebahia no final da década de 70. Sua trajetória política começa no sindicalismo. Foi presidente do Sindicato dos Telefônicos da Bahia, e fundador da Central Única dos Trabalhadores (CUT) no estado. Filiado ao Partido dos Trabalhadores (PT), disputou sua primeira eleição em 1986 como candidato a deputado estadual; em 1992, foi eleito vereador de Salvador, assumindo a liderança da bancada e escolhido pela imprensa entre os melhores da capital. Na quarta e última eleição para deputado federal, em 2006, obteve o maior número de votos do PT no Brasil – 200.894 votos em 414 do total de 417 municípios baianos. Em 2009, Pinheiro se licenciou para assumir, a convite do governador Jaques Wagner, a pasta de Planejamento do Governo da Bahia, com a tarefa de garantir investimentos para o estado em um ano de crise financeira mundial. Walter Pinheiro se elegeu senador da República em 2010 com 3.630.944 votos, sendo o mais votado na Bahia.

Sem acordo

Segue, porém, sem acordo a pendência entre Marta Suplicy e José Pimentel. Segundo os senadores, havia um acordo pelo qual Marta exerceria o cargo de primeira vice-presidente do Senado no primeiro ano e depois o passaria para Pimentel. Mas Marta, preterida na sua ambição de ser candidata a prefeita de São Paulo (por influência do ex-presidente Lula, foi escolhido candidato o ex-ministro da Educação Fernando Haddad), agora quer ficar no cargo para manter, assim, um grau maior de exposição. Pimentel, por sua vez, cobra o cumprimento do acordo.

Em sua página no Twitter, Marta Suplicy informou no início da tarde que permanecerá na Primeira Vice-Presidência. A nota não informa, porém, se José Pimentel aceitou ou não perder o cargo.

Por RudolfoLago – congressoemfoco.com.br

Deixe um comentário