Vice-procuradora-geral critica inauguração de obras em período eleitoral

Paula Laboissière
Repórter da Agência Brasil

Brasília – Um governo não prova o que fez às vésperas da eleição, mas ao longo dos quatro ou oito anos em que esteve no poder. A avaliação foi feita pela vice-procuradora-geral Eleitoral, Sandra Cureau, ao criticar a inauguração de obras em período eleitoral.

“Inaugurações em época de eleição não provam nada. Na verdade, chama-se a atenção para o candidato apoiado por meio do que faz a inauguração”, disse ela, ao participar do programa 3 a 1, exibido ontem (4) à noite pela TV Brasil.

Para Sandra, a entrega de obras que muitas vezes sequer foram iniciadas pelo governo que as inaugurou demonstra uma espécie de “apropriação” para fins eleitorais. Ela lembrou que, em alguns casos, a obra não está pronta, mas é inaugurada apenas em razão da proximidade do pleito.

A vice-procuradora condenou também a compra de voto. Segundo ela, o eleitor que apoiar um candidato em troca de uma dentadura, óculos ou telhas, por exemplo, está elegendo um corrupto e deixando de escolher uma pessoa que possa resolver questões de urgência do município ou do estado.

Edição: Juliana Andrade

Deixe um comentário