Valor das ações brasileiras diminuiu US$ 126 bilhões

Fonte: monitormercantil.com.br

O mercado brasileiro perdeu US$ 126 bilhões de valor de mercado em janeiro, recuando de US$ 1,266 trilhão no final de 2009 para US$ 1,139 trilhão, de acordo com pesquisa de ume empresa de consultoria, que considera resultados de 320 empresas com dados do final do ano passado e janeiro.

A perda brasileira é eqüivale ao valor de mercado de todas as empresas colombianas, que atualmente é de US$ 126,9 bilhões. O valor do setor bancário – o mais representativo do mercado brasileiro, com 23 instituições – caiu 11,7% no final de janeiro, de US$ 264,2 bilhões para US$ 233,3 bilhões.

No mesmo período, o setor de construção foi o mais afetado no Brasil, com queda de 15,6% (US$ 5,01 bilhões) em seu valor de mercado no período, que passou de US$ 32,18 bilhões para US$ 27,17 bilhões.

Entre os 24 setores analisados, somente dois apresentam crescimento no país: Agro Pesca (1,8%) e Químico (0,04%). Em um cenário mais amplo, considerando 765 empresas do mercado da América Latina, o valor de mercado da região recuou 6,5% (US$ 138,8 bilhões) em janeiro, de US$ 2,135 trilhões para US$ 1,996 trilhão.

Nos Estados Unidos, o valor de mercado das 500 empresas do índice S&P 500 mostraram queda de 3,7% (US$ 383 bilhões) no mesmo período, de US$ 10,231 trilhões para US$ 9,848 trilhões. A queda apurada no valor das empresas norte-americanas é superior ao valor de mercado de todas as empresas mexicanas.

Entre as 1.265 empresas da América Latina e EUA que fazem parte do levantamento, a consultoria identificou 14 empresas com quedas nominais superiores a US$ 10 bilhões. Fazem parte dessa lista a Petrobras (US$ 28,4 bilhões), a Vale (US$ 11 bilhões) e o Itaú Unibanco (US$ 10 bilhões). Em janeiro, a empresa que apresentou a maior queda nominal de seu valor de mercado foi o Google, com retração de 14,5% – o equivalente a US$ 28,5 bilhões. Em segundo lugar ficou a Petrobras, que no mesmo período perdeu 14,3%. A mineradora Vale surge na nona colocação, com queda de 7,9% e o Itaú Unibanco na décima quarta colocação, com declínio de 11,3%.

Deixe um comentário