Temor a Rodrigo Maia faz PSDB se manter no governo

.
O PSDB decidiu se manter na base aliada do governo de Michel Temer. A decisão foi tomada após uma profunda análise do cenário político atual.

Segundo informações obtidas e divulgadas por Vera Magalhães, colunista do jornal Estado de S. Paulo, a decisão de se manter no governo foi tomada por temor à ascensão do presidente da Câmara, Rodrigo Maia (PMDB-RJ), à presidência. Atualmente, ele é o mais cotado para substituir Temer no caso de uma eleição indireta.

Na avaliação dos tucanos, se a situação está ruim com Temer, ficará ainda pior com Maia. Um dos motivos é o senador Aécio Neves (PSDB-MG). Se os tucanos abandonarem o governo, o PMDB deixará de blindar Aécio do pedido de prisão pelo escândalo da JBS, que deve voltar em breve à pauta do Supremo Tribunal Federal (STF).

Diante disso, os tucanos vão tentar convencer a ala jovem do partido a desistir da proposta de desembarcar imediatamente da base aliada. Para isso, contarão com o apoio do integrante novato João Dória (PSDB-SP).

Além de tentar convencer a ala jovem, a cúpula também busca alertar Maia para cessar a campanha que ele promove (embora negue) para se tornar um cacique do PMDB. Eles alertam o deputado que, se ele assumir a presidência, a campanha “Fora Temer” será imediatamente substituída por “Fora Rodrigo”.

A proposta de deixar a base aliada é uma bandeira dos chamados tucanos “cabeças pretas”, apelido dado internamente em oposição aos “cabeças brancas”, tucanos mais velhos que integram a cúpula do partido.

Para a cúpula, o ideal, agora, é unir os esforços do PMDB e do PSDB, usando como discurso as reformas do governo, para conseguir chegar ao fim do mandato de Temer, em 2018.

 

Fonte: Opinião&Notícia

Deixe um comentário