Tarso deixa Ministério da Justiça dia 10 para se dedicar à campanha e Meirelles se esquiva falar sobre possivel candidatura

Fonte: monitormercantil.com.br

O ministro da Justiça, Tarso Genro, deixa o cargo na quarta-feira da próxima semana, dia 10, para se dedicar à pré-candidatura ao governo do Rio Grande do Sul.
Ele esteve nesta terça no Conjunto Cultural do Banco do Brasil (CCBB), sede provisória do governo, onde se reuniu com o presidente Luiz Inácio Lula da Silva para tratar do assunto.
Quanto ao seu sucessor, Genro disse que ainda não há definição do presidente e que tanto os nomes do atual secretário executivo do Ministério da Justiça, Luiz Paulo Teles Ferreira Barreto, quanto o do deputado José Eduardo Cardozo (PT-SP) são compatíveis para o exercício do cargo.
Na reunião, Tarso Genro disse ao presidente que os dois nomes “são absolutamente compatíveis” para assumir o Ministério da Justiça até dezembro. Aos jornalistas, ele ressaltou que a escolha pessoal de Lula ocorrerá “em função dos critérios que ele adotar nas substituições”.
– Ele, Lula, fez uma avaliação de todo o quadro, levantou esses nomes que vocês estão acostumados a divulgar agora, mas só vai fazer sua opção provavelmente três dias antes do dia 10 – disse, ao deixar o CCBB.
Primeiro ministro da equipe do presidente Luiz Inácio Lula da Silva a deixar o cargo, Tarso informou que já tinha encaminhado o pedido de exoneração ao presidente para que sua saída ocorresse no dia 10. Na reunião, ele apresentou um relatório dos projetos em andamento com o objetivo de demonstrar que não haverá qualquer problema de continuidade com a antecipação de sua saída da equipe ministerial.
– Os projetos estão todos fechados, com bom nível de andamento e a relação federativa que estabelecemos com relação à segurança pública já começa a dar resultados no país – afirmou.

Meirelles se esquiva de comentar possível candidatura e diz que fica no cargo até o fim de março
Já o presidente do Banco Central, Henrique Meirelles, evitou comentar sua possível saída do cargo em março para concorrer às eleições para o governo de Goiás. Ele disse que ficará “totalmente focado” nas questões do Banco Central até o final do primeiro trimestre.
– A população brasileira está usufruindo de benefícios duramente conquistados nos últimos anos, em termos de crescimento do país, das iniciativas da distribuição de renda e de construção dos programas de investimentos – afirmou, destacando que assumiu o compromisso de pensar no futuro apenas no final de março.
E acrescentou:
– Até lá, 100% de foco no Banco Central – disse

Deixe um comentário