Mundo  

Strauss-Kahn está prestes a ser inocentado

Ex-chefe do FMI pode ser libertado da prisão domiciliar ainda nesta sexta-feira, 1º.

O caso Dominique Strauss-Kahn está prestes a sofrer uma reviravolta. Segundo promotores de Nova York, a camareira que acusa o ex-chefe do FMI de agressão sexual mente reiteradamente, e foram descobertas evidências de que ela recebeu dinheiro para incriminar um dos homens mais poderosos do mundo.

Segundo os promotores, nos últimos dois anos várias pessoas fizeram depósitos em dinheiro com soma total de US$ 100 mil na conta bancária da camareira, e haveria conversas gravadas da mulher com terceiros falando sobre o pagamento pela acusação de agressão sexual. As informações são do jornal norte-americano The New York Times.

Problemas com a acusação
Segundo o New York Times, Dominique Strauss-Kahn pode ser libertado da prisão domiciliar ainda nesta sexta-feira, 1º, após uma audiência sobre o caso em que os promotores devem notificar o juiz de que há problemas com a acusação. Indiciado em sete acusações de assédio sexual, Strauss-Kahn sempre afirmou ser inocente. Defesa e promotoria já teriam se reunido para falar sobre rejeitar as acusações.

Ainda de acordo com o New York Times, a polícia descobriu supostos vínculos da camareira com atividades criminosas, incluindo lavagem de dinheiro e tráfico de drogas.

Fonte: opiniaoenoticia.com.br

Deixe um comentário