Situação de Lupi no governo não é ‘confortável’, diz líder

 

Para Jucá, ‘nenhum ministro sob acusação fica em situação confortável’. Sobre declaração de Lupi, senador disse que houve ‘excesso de verbalização’.

O líder do governo no Senado, Romero Jucá (RR), afirmou nesta quarta-feira (9) que, embora se mantenha no cargo, o ministro do Trabalho, Carlos Lupi, não está em uma situação considerada “confortável”.

Reportagem publicada neste fim de semana pela revista “Veja” aponta envolvimento de funcionários da pasta em um suposto esquema de desvio de recursos de convênios com entidades privadas. Por conta das denúncias, Carlos Lupi afastou no sábado (5) o coordenador de qualificação do ministério.

“Nenhum ministro ou nenhum ministério que se encontre sob acusação fica em situação confortável. É claro que a situação precisa de atenção. É preciso que se tome providências, que se investigue as situações e se preste as informações necessárias”, disse Jucá.

O líder disse que o governo já iniciou as investigações para apurar as denúncias e que, por enquanto, Lupi fica no cargo.

“O governo está avaliando a situação dos convênios, todos os convênios denunciados estão sendo investigados […] Vamos aguardar o desenrolar dos acontecimentos. Por enquanto, o ministro fica no ministério”, afirmou Jucá.

Na tarde desta terça (8), Lupi disse que não pretende se afastar do comando da pasta, alvo de denúncias de irregularidades.

O ministro chegou a dizer que, para o tirar da pasta, “só abatido a bala”. Nesta quarta, Lupi negou que a declaração tenha sido um desafio a presidente Dilma. O líder do governo, contudo, considerou as declarações como excessivas.

“Cada um tem um estilo. Este não é o estilo que eu considere mais apropriado, mas cada pessoa se expressa de uma forma. Não vamos criticar o ministro sobre isso, embora ache que houve excesso de verbalização”, afirmou o senador.

Fonte: votebrasil.com

Deixe um comentário