Seu voto. Sua sentença!

Por Claudio Schamis – opiniaoenoticia.com.br

O voto é seu. É secreto. É sua arma. E tem que ser de sua livre e espontânea vontade. Como num casamento.
‘O êxito de um bom dito reside no ouvido daquele que escuta, não na boca daquele que o pronuncia.’ – Shakespeare

Será que estamos realmente tendo êxito no que estamos escutando de nossos dois candidatos? Ou será que queremos apenas inverter o papel de quem será realmente responsável pelos nossos próximos quatro anos?

Será muito fácil depois dizer que a culpa é dele Serra, ou é dela Dilma, que falou isso ou aquilo outro, mas, no meio do caminho como apareceu uma “pedra”, ficará o dito pelo não dito e se fará o que se disse que não se faria. Tudo bem que nem sempre podemos manter tudo como o planejado, mas as pessoas sérias e comprometidas fazem de tudo para, pelo menos, alcançar o mesmo objetivo fazendo apenas pequenos desvios. E não são desvios de conduta, de dinheiro ou, diria até, de caráter. Não é fazer o que deixaria a pessoa sair “bem na foto”. Não queremos um presidente seja ele ou ela “bem na foto”, queremos que nosso país e nossas vidas, estas sim, fiquem “bem na foto”.

Queremos qualidade de vida, respeito e ações de verdade. Queremos ver resultados.

Eu me pergunto de que forma entra em seu ouvido o que os candidatos têm falado? Com todo o respeito, é claro.  Só que a questão é muito mais complexa, além até de Shakespeare.

Não é só ouvir, temos que ver ou pelo menos  tentar enxergar, tentar sermos um pouco visionários. E vislumbrar. Temos que nos isentar de tudo, tirar antolhos, abandonar um pouco a foto de Lula que muitos de seus adoradores devem carregar na carteira como se ele fosse um daqueles santinhos, – Lula não é santo, nem Deus e nem está acima de qualquer coisa, nem das leis e nem do próprio PT, como foi dito – esquecer um pouco do “mito” que dizem que o Lula é, e respirar e compreender a situação como um todo.

E é esse todo que fará a diferença. Temos que olhar ao redor, vislumbrar a foto completa tirada por uma grande angular. Nosso futuro não pode ficar restrito a uma foto 3 x 4. Nosso país é muito mais que isso. Merecemos mais que isso.

Estamos na reta final para decidirmos o nosso futuro. Dilma ou Serra? Eis a questão. E a preocupação deles é saber em quem os eleitores de Marina Em Cima do Muro Silva irão votar. Será que não deveria existir uma preocupação maior? Será que a preocupação não deveria ser tentar passar metas e objetivos verdadeiros em vez de ficar usando debates para ataques pessoais, para acusações infundadas, ou para usar a mentira de números que nunca são provados, seja a Dilma falando do governo do presidente Lula, seja o Serra falando de seu governo como governador de São Paulo, ou até de quando foi ministro com FHC. Números são manipulados e podem ser mentirosos.

Temos que nos pautar em ações de verdade. E ações de verdade podem ser vistas, tocadas. São reais. Têm vida. É por essa nossa vida que temos que nos decidir. É uma decisão difícil? Para muitos sim.

E essa guerra de nervos que fazem agora é somente para confundir mais ainda o eleitor, distraí-lo da realidade.

A realidade é uma só. Sabemos que Dilma promete ser a continuidade do governo Lula e, se a maioria achar que assim está bom, o que podemos fazer? Se tudo o que aconteceu durante esses oito anos não foram suficientes para que houvesse uma conscientização de que basta, então caímos naquela velha frase de que cada povo tem o governo que merece. Só que eu gostaria de mudar essa frase. Não me considero melhor que ninguém, mas me considero merecedor de algo melhor. Considero que o Brasil merece algo melhor.

Se o Serra vai ser melhor? Não sei. Realmente não sei. Mas sei quem estará por trás do governo Dilma e não gosto do que vejo. Como sempre, só o tempo é que dirá quem estava certo.

Existe também a opção de não se querer apostar no Serra, que é novo, e aí resta a você bancar essa sua posição e assumir que, mesmo sabendo que um dos dois ganhará, não será com seu voto,  e não irei recriminá-lo. Essa conversa de que você deve votar em x mesmo não querendo somente para que y não entre é, no meu entender, covardia de sua parte, por não assumir sua posição de verdade. O voto é seu. É secreto. É sua arma. E tem que ser dado por sua livre e espontânea vontade. Como num casamento.

Votar como você realmente quer é exercer sua cidadania. E isso é o que você pode fazer de melhor para você, como homem e cidadão.

Salvem as baleias. Não jogue lixo no chão. Não fume em ambiente fechado.

Deixe um comentário