Setor industrial brasileiro registra o pior resultado desde 2009

.
timthuO IBGE informou nesta terça-feira, 4, que a produção industrial brasileira encolheu 0,3% no mês de junho. Comparada com o mesmo período do ano passado, a queda foi de 3,2%. O recuo anual é de 6,3%, o pior desde a queda de 7,1% registrada em 2009. O recuo foi bem menos no primeiro semestre do ano passado, de 2,4%, e de 3,7% no segundo semestre.

No mês de maio o setor industrial havia conseguido avançar levemente, com 0,6% frente a abril. Analistas destacaram, no entanto, que o número positivo não alterava o cenário de recessão que o setor passa.

“Esse resultado de junho vem confirmar essa leitura que a gente já faz há algum tempo. Nas dez últimas informações no dado com ajuste sazonal, sete resultados são negativos, dois positivos e uma estável”, disse André Macedo, gerente da coordenação de indústria do IBGE.

O recuo registrado em junho foi influenciado por resultados negativos em 15 dos 24 ramos pesquisados pelo IBGE. Entre os destaques, está a queda do segmento de máquinas e equipamentos, que chegou a -7,2%. O número baixo foi influenciado também pelos desempenhos dos setores de equipamentos de informática (-12,7%) e veículos automotores (-2,8%).

Dentre as quatro grandes categorias econômicas, três registraram queda. Apenas bens de consumo, semi e não duráveis não registraram perdas, com alta de 1,7% frente a maio. As outras categorias — bens de capital (-3,3%), bens intermediários (-0,2%) e bens de consumo duráveis (-10,7%) — recuaram.

O segmento de Bens de Capital teve recuo anual de 20%, pior resultado para o período desde 2003. Até então, o pior resultado registrado havia sido em 2009, com -16,5%. Já o de Bens de Consumo Duráveis encolheu 14,6% no ano, também o pior nível desde 2003, com queda de 9,1%.

Em maio, o número de vagas formais no setor recuou 1% em  relação ao mês anterior e, em comparação com o mesmo mês do ano passado, caiu mais 5,8%.

Deixe um comentário

Um comentário para “Setor industrial brasileiro registra o pior resultado desde 2009”

  1. ⇒ Jorge Almada disse:

    O que esperar de uma Presidenta sem apoio político e pior sem apoio popular.As pesquisas demonstram falta de confiança na gestão de seu governo.

    A confiança na presidenta piorou após as eleições visto que em sua campanha procurou esconder da população que havia uma bomba prestes a explodir e os estragos desta bomba explodida no primeiro semestre deste ano é visível a maioria dos brasileiros:

    * Alta da inflação, que deve chegar a 10% em dezembro;

    * Desemprego em massa;

    * Baixo crescimento;

    * Pibinho;

    * Corte no Investimento educação e saúde.

    Previsões em 2012/2014 feita por diversos economistas já demonstravam total incompetência administrativa da Presidenta. Eu mesmo fiz inúmeros comentários sobre o desenrolar da economia administrada por ela e pelo ministro Mantega. ( Vide site correiobrasiliense comentários econômicos sobre Mantega, feito por jorgealmada.

    Como sair desta crise?

    Em primeiro lugar o governo esta na contramão do desenvolvimento econômico com a elevação da taxa de juro está dando um tiro no pé pois acabará pagando juro elevado de sua dívida pública com os aumentos constantes na taxa Selic.

    Para quê aumentar os juros se a inflação não foi causada pelo consumo indiscriminado e sim por preços represados, energia elétrica, combustíveis, gastos desnecessários com estádios de futebol ( copa), a perda de receita pelas bondades do governo para com redução de IPI (S), Linha brancas e centenas de produtos que acabaram sendo consumidos em massa. Cabe aqui salientar que muitos destes produtos foram e são importados da China e de países asiáticos.

    A demanda por produtos importados iniciado no governo Lula e continuados no governo Dilma são responsáveis pelo sucateamento do nosso parque industrial: indústrias de maquinas e equipamento, produtos químicos, tecidos , calçados. Estamos importando até pilhas comuns da Ásia.

    A SAÍDA…..

    Primeiramente, recuperar a produção industrial com investimento em tecnologia e alta produtividade principalmente nos produtos que estamos importando e que são de alto consumo e que a fabricação destes produtos gerem empregos. Reforma urgente para redução do custo Brasil de modo a viabilizar a produção com custos menores.

    Fazer um planejamento gradual da desvalorização do Real em relação ao Dólar para os próximos 2 ou 3 anos fechando em torno de 5 reais/1 dolar.

    Forçar a fabricação destes produtos importados aqui, e incentivar o investimento industrial em todos os seguimentos visando a exportação e saldos positivos no comercio exterior.

    O Brasil atualmente está sendo administrado por uma presidenta incompetente e um partido de idiotas que não entendem nada de economia sabem muito bem como “roubar o povo brasileiro” e que chegaram ao poder pelas mãos de um ” ” poderoso chefão”

    A queda da Dilma é necessária talvez não a solução mas certamente aumentaria a credibilidade no governo e principalmente a credibilidade nos investidores.

    Fim da Crise! somente em 2018, isto é se houver mudanças JÁ.

    jorge Almada