Brasil  

Servidores do Congresso que trabalham em aeroporto ganham até R$ 22 mil

A remuneração de servidores do Senado Federal e da Câmara dos Deputados que trabalham no apoio de viagem para parlamentares chega a R$ 22 mil em alguns casos. Ao todo, 13 funcionários do Congresso Nacional estão lotados para os serviços de apoio aeroportuário das Casas Legislativas.

O Senado Federal possui oito servidores nesses cargos. Os funcionários integram o Serviço de Apoio Aeroportuário, unidade subordinada à Secretaria de Polícia do Senado. Dentre os oito servidores lotados no Serviço, há cinco no cargo de Técnico Legislativo e três no de Auxiliar Legislativo.

O maior salário é do chefe do setor. No mês de abril, por exemplo, o servidor, que está no Senado desde 1984, recebeu R$ 21.858,62 de remuneração. O valor já considera os descontos obrigatórios. Os salários do restante dos funcionários variam entres R$ 15.950,23 e R$ 18.576,53.

Já a Câmara dos Deputados, de acordo com a assessoria do órgão, tem cinco servidores no Serviço de Apoio. Os funcionários possuem Cargo de Natureza Especial (CNE), ou seja, são cargos públicos que dispensam concursos públicos para efetivação. Os salários dos funcionários que prestam serviços no local variam entre R$ 10,9 mil e R$ 15,6 mil.

Ao todo, quase R$ 200 mil são desembolsados mensalmente para atender as despesas com pessoal do Senado e da Câmara para serviços de apoio no aeroporto. Se o valor for considerado para uma média anual, ao final de cada exercício R$ 2,4 milhões saem dos cofres públicos para atender essa demanda.

Como o Contas Abertas divulgou ontem (22), as duas Casas gastam R$ 408,6 mil para alugar as salas vip onde os parlamentares recebem o atendimento privilegiado. Os serviços prestados no aeroporto incluem emissão, alteração e cancelamento de bilhetes, apoio e segurança das autoridades, realização de check-in, despacho de bagagens, acompanhamento on-line dos horários de chegada e partida dos voos.

STF

Assim como o Congresso, o Supremo Tribunal Federal (STF) também possui o serviço especializado. A assessoria do Tribunal informou, no entanto, que apenas um vigilante terceirizado ocupa posto fixo no local, com salário mensal bruto de R$ 2.048,01. O Tribunal paga à empresa contratada, mensalmente, o total de R$ 4.874,56 (incluindo salário e tributos incidentes).

O aluguel da sala vip da Corte custa R$ 240,4 mil por ano. O valor também atende às autoridades do Tribunal Superior do Trabalho, que repassa ao STF metade desses valores em razão do uso compartilhado da sala.

– See more at: http://www.contasabertas.com.br/website/arquivos/8606#sthash.XpXy4f5h.dpuf

.
Fonte: Contas Abertas
.
Externa Prédio do Congresso Nacional Cúpula da Câmara e do Senado Foto Rodolfo Stuckert Data 07-03-2009A remuneração de servidores do Senado Federal e da Câmara dos Deputados que trabalham no apoio de viagem para parlamentares chega a R$ 22 mil em alguns casos. Ao todo, 13 funcionários do Congresso Nacional estão lotados para os serviços de apoio aeroportuário das Casas Legislativas.

O Senado Federal possui oito servidores nesses cargos. Os funcionários integram o Serviço de Apoio Aeroportuário, unidade subordinada à Secretaria de Polícia do Senado. Dentre os oito servidores lotados no Serviço, há cinco no cargo de Técnico Legislativo e três no de Auxiliar Legislativo.

O maior salário é do chefe do setor. No mês de abril, por exemplo, o servidor, que está no Senado desde 1984, recebeu R$ 21.858,62 de remuneração. O valor já considera os descontos obrigatórios. Os salários do restante dos funcionários variam entres R$ 15.950,23 e R$ 18.576,53.

Já a Câmara dos Deputados, de acordo com a assessoria do órgão, tem cinco servidores no Serviço de Apoio. Os funcionários possuem Cargo de Natureza Especial (CNE), ou seja, são cargos públicos que dispensam concursos públicos para efetivação. Os salários dos funcionários que prestam serviços no local variam entre R$ 10,9 mil e R$ 15,6 mil.

Ao todo, quase R$ 200 mil são desembolsados mensalmente para atender as despesas com pessoal do Senado e da Câmara para serviços de apoio no aeroporto. Se o valor for considerado para uma média anual, ao final de cada exercício R$ 2,4 milhões saem dos cofres públicos para atender essa demanda.

Como o Contas Abertas divulgou ontem (22), as duas Casas gastam R$ 408,6 mil para alugar as salas vip onde os parlamentares recebem o atendimento privilegiado. Os serviços prestados no aeroporto incluem emissão, alteração e cancelamento de bilhetes, apoio e segurança das autoridades, realização de check-in, despacho de bagagens, acompanhamento on-line dos horários de chegada e partida dos voos.

STF

Assim como o Congresso, o Supremo Tribunal Federal (STF) também possui o serviço especializado. A assessoria do Tribunal informou, no entanto, que apenas um vigilante terceirizado ocupa posto fixo no local, com salário mensal bruto de R$ 2.048,01. O Tribunal paga à empresa contratada, mensalmente, o total de R$ 4.874,56 (incluindo salário e tributos incidentes).

O aluguel da sala vip da Corte custa R$ 240,4 mil por ano. O valor também atende às autoridades do Tribunal Superior do Trabalho, que repassa ao STF metade desses valores em razão do uso compartilhado da sala.

 

A remuneração de servidores do Senado Federal e da Câmara dos Deputados que trabalham no apoio de viagem para parlamentares chega a R$ 22 mil em alguns casos. Ao todo, 13 funcionários do Congresso Nacional estão lotados para os serviços de apoio aeroportuário das Casas Legislativas.

O Senado Federal possui oito servidores nesses cargos. Os funcionários integram o Serviço de Apoio Aeroportuário, unidade subordinada à Secretaria de Polícia do Senado. Dentre os oito servidores lotados no Serviço, há cinco no cargo de Técnico Legislativo e três no de Auxiliar Legislativo.

O maior salário é do chefe do setor. No mês de abril, por exemplo, o servidor, que está no Senado desde 1984, recebeu R$ 21.858,62 de remuneração. O valor já considera os descontos obrigatórios. Os salários do restante dos funcionários variam entres R$ 15.950,23 e R$ 18.576,53.

Já a Câmara dos Deputados, de acordo com a assessoria do órgão, tem cinco servidores no Serviço de Apoio. Os funcionários possuem Cargo de Natureza Especial (CNE), ou seja, são cargos públicos que dispensam concursos públicos para efetivação. Os salários dos funcionários que prestam serviços no local variam entre R$ 10,9 mil e R$ 15,6 mil.

Ao todo, quase R$ 200 mil são desembolsados mensalmente para atender as despesas com pessoal do Senado e da Câmara para serviços de apoio no aeroporto. Se o valor for considerado para uma média anual, ao final de cada exercício R$ 2,4 milhões saem dos cofres públicos para atender essa demanda.

Como o Contas Abertas divulgou ontem (22), as duas Casas gastam R$ 408,6 mil para alugar as salas vip onde os parlamentares recebem o atendimento privilegiado. Os serviços prestados no aeroporto incluem emissão, alteração e cancelamento de bilhetes, apoio e segurança das autoridades, realização de check-in, despacho de bagagens, acompanhamento on-line dos horários de chegada e partida dos voos.

STF

Assim como o Congresso, o Supremo Tribunal Federal (STF) também possui o serviço especializado. A assessoria do Tribunal informou, no entanto, que apenas um vigilante terceirizado ocupa posto fixo no local, com salário mensal bruto de R$ 2.048,01. O Tribunal paga à empresa contratada, mensalmente, o total de R$ 4.874,56 (incluindo salário e tributos incidentes).

O aluguel da sala vip da Corte custa R$ 240,4 mil por ano. O valor também atende às autoridades do Tribunal Superior do Trabalho, que repassa ao STF metade desses valores em razão do uso compartilhado da sala.

– See more at: http://www.contasabertas.com.br/website/arquivos/8606#sthash.XpXy4f5h.dpuf

Deixe um comentário