Serra eleva o tom e compara Dilma a Collor

Fonte: opiniaoenoticia.com.br

O candidato tucano à presidência voltou a vincular o nome de sua adversária petista ao escândalo envolvendo a quebra de sigilo fiscal de sua filha.

Diante das investigações da Polícia Federal sobre a quebra de sigilo fiscal de pessoas ligadas ao PSDB, o candidato tucano José Serra criticou a campanha de Dilma Rousseff durante o horário eleitoral exibido na TV na noite desta quinta-feira, 2.

Serra ressaltou a violação do sigilo fiscal de sua filha Verônica Serra. “Minha filha é mãe de três crianças pequenas, uma mulher honrada”, afirmou o candidato em defesa da filha.

“Dilma é como o Dunga”

A candidata à presidência pelo PT Dilma Rousseff foi mais uma vez motivo de metáfora no programa eleitoral de rádio de José Serra. Na edição que foi ao ar nesta quinta-feira, 2, uma pessoa não identificada diz que “Dilma é que nem o Dunga. Nunca foi técnico de nenhum time, foi pra Seleção e deu no que deu”.

Na fala de José Serra, o candidato tucano prometeu dar continuidade a projetos como Bolsa Família, corrigir problemas como o da conservação das rodovias federais, assim como melhorar investimentos no metrô.

Além disso, o candidato do PSDB ressaltou projetos para a educação, como a criação de um milhão de vagas no ensino técnico.

Polícia federal começa a investigar quebra de sigilo na Receita

Além disso, o programa de Serra também tentou associar a imagem de Dilma à do ex-presidente Fernando Collor. “A mesma baixaria contra a filha do Lula agora é usada contra a filha do Serra”, disse locutor do mesmo, fazendo alusão ao caso da filha de Lula, Lurian, que foi usada nas eleições de 1989 por Collor para tentar manchar a imagem do concorrente. Lurian é filha de uma ex-namorada de Lula. À época, Lula era candidato à presidência e foi acusado de ter oferecido dinheiro para que a ex-namorada abortasse.

Entenda o caso da quebra de sigilo fiscal

Em setembro de 2009, uma servidora da Receita Federal acessou a declaração de imposto de renda da filha de Serra por meio de uma procuração falsa em nome de Verônica.

Também foram acessados dados de pessoas ligadas ao partido tucano, como Eduardo Jorge, Luiz Carlos Mendonça de Barros, Ricardo Sérgio de Oliveira e Gregório Marin Preciado.

O PSDB acusa a campanha de Dilma de ter promovido a operação na tentativa de fazer um dossiê que incriminasse José Serra. Em resposta ao caso, a petista prometeu processar o adversário por acusações “levianas”.

Deixe um comentário