Senado aprova punição para cartola que deixar clube endividado

Por Rodolfo Torres – congressoemfoco.com.br

A Comissão de Constituição e Justiça (CCJ) do Senado aprovou em caráter terminativo, nesta quarta-feira (16), projeto de lei que responsabiliza dirigentes esportivos por dívidas contraídas em nome dos clubes. A proposta segue para a análise da Câmara.

De acordo com o Projeto de Lei do Senado 429/2012, haverá responsabilização civil dos dirigentes se contratos de empréstimos assinados por eles tenham vencimentos posteriores ao término do mandato.

O relator da matéria no colegiado, senador Alvaro Dias (PSDB-PR), lembrou que a proposta ainda permite a expropriação de bens de ex-dirigentes que endividam os clubes e citou a extinta CPI do Futebol, criada para investigar denúncias de corrupção no esporte.

“Ninguém tinha dúvida, em sã consciência, da desonestidade de alguns dirigentes. E eles eram homenageados. O mais popular deles era presidente da CBF [Confederação Brasileira de Futebol]”, disparou o tucano, referindo-se a Ricardo Teixeira. “Na Justiça internacional, ele foi extraordinariamente perseguido da forma correta como exige a moralidade no esporte. No Brasil, a Justiça tratava das ações penais contra ele de forma leniente. A pressão que veio de fora o derrubou”, complementou.

De acordo com o relatório do paranaense, “contrair dívidas não configura nenhum ato de gestão temerária, desde que a obrigação de pagá-las coincida com o mandato dos dirigentes”.

Para o autor do projeto, senador Vital do Rêgo (PMDB-PB), a proposta “é mais uma medida de moralidade da gestão, evitando que dirigentes ‘esvaziem os caixas’ de seus clubes ou federações, tornando de impossível gestão futuras direções destes”.

Outros textos sobre Copa de 2014

Mais matérias sobre a CBF

Deixe um comentário