Sarney: dificilmente Senado vai alterar texto da MP que beneficia aposentados

Marcos Chagas
Repórter da Agência Brasil

Brasília – Por conta do ano eleitoral, dificilmente os senadores farão qualquer mudança na medida provisória aprovada ontem (4) pela Câmara que concede 7,72% de reajuste a aposentados e pensionistas da Previdência Social. O texto acabou também com o fator previdenciário. A avaliação é do presidente do Senado, José Sarney (PMDB-AP). A palavra final sobre os dois assuntos, então, caberia ao presidente Luiz Inácio Lula da Silva.

“Eu não conheço os números do orçamento do governo, mas acho que politicamente é muito difícil que haja qualquer modificação aqui no Senado até mesmo porque há, aqui, uma grande simpatia com o aposentados”, afirmou Sarney.

O presidente do Senado defendeu pessoalmente a manutenção do percentual de reajuste definido pela Câmara. Ele argumentou que com o aumento nos preços, especialmente no dos medicamentos, sempre que se puder conceder um reajuste aos aposentados será justificado. “Eu recordo sempre minha mãe que dizia: olha, não deixa de ajudar os velhinhos. Estou falando em causa própria”, disse o presidente.

Sobre o fim do fator previdenciário, Sarney adotou uma postura mais cautelosa. Para ele, esta é uma questão controversa e divide as opiniões no Senado. Até entre parlamentares da oposição existe a convicção de que a extinção do fator previdenciário vai fragilizar ainda mais a situação de caixa da Previdência Social.

Edição: Talita Cavalcante

Deixe um comentário