Sarney defende que Venezuela fique fora do Mercosul

Por Renata Camargo – congressoemfoco
O presidente do Senado, José Sarney (PMDB-AL), defendeu que a Venezuela se mantenha fora do Mercosul. Sarney afirmou que o atual governo de Hugo Chávez tem levado a um “desmoronamento da democracia”, o que o impede a adesão daquele país ao bloco sulamericano. Nesta quinta-feira (29), a Comissão de Relações Exteriores do Senado analisa a proposta de entrada da Venezuela no Mercosul.
“Eu acho que a cláusula democrática que nós temos no Mercosul é definitiva e que o Brasil tem compromisso com ela. O atual governo da Venezuela tem tomado algumas providencias que são de desmoronamento da democracia e contra os princípios democráticos”, declarou Sarney.
O relatório do senador Tasso Jereissatti (PSDB-CE), que será votado nesta quinta-feira, é contrário à entrada da Venezuela no Mercosul. Tasso também defende a posição de que o governo de Hugo Chávez tem perfil antidemocrático, o que impede o ingresso daquele país no Mercosul. O governo brasileiro, no entanto, tem interesse em que o Senado aprove a entrada da Venezuela. Para isso, o líder do governo, senador Romero Jucá (PMDB-RR) irá apresentar um voto em separado defendendo a adesão venezuelana.
Na tarde de hoje, os membros da Comissão de Relações Exteriores ouvem o prefeito de Caracas, capital da Venezuela, Antonio Ledezma. Opositor político de Hugo Chávez, Ledezma vem ao Brasil defender a entrada da Venezuela no Mercosul. A audiência será realizada às 14h.

Deixe um comentário