Rombo no Orçamento pode ser duas vezes maior do que o previsto

.
timthA proposta de Orçamento da União encaminhada ao Congresso previa um rombo de R$30,5 bilhões. No entanto, ele pode chegar a R$ 70 bilhões, já que o projeto conta com receitas, como vendas de terrenos e participação acionária em empresas, que  são incertas. Além disso, ainda há demandas que os parlamentares devem incluir no Orçamento.

A oposição pediu que a peça orçamentária com déficit fosse devolvida, mas após os presidentes da Câmara e do Senado, Eduardo Cunha e Renan Calheiros, respectivamente, se encontrarem separadamente com a presidente Dilma Rousseff, eles rejeitaram a ideia. No entanto, eles deixaram claro que a tarefa de achar uma solução para o rombo é responsabilidade do governo.

O Orçamento de 2016 fez com que as divisões internas do governo aumentassem. O Ministro da Fazenda, Joaquim Levy, e do Planejamento, Nelson Barbosa, estão em descompasso. Além disso, ministros da área política e o vice-presidente Michel Temer criticam a previsão de rombo de R$ 30,5 bilhões. De acordo com um auxiliar do Planalto, um dia após o anúncio do rombo, a avaliação interna foi que “faltou coragem” para apresentar um número real. Ele afirmou que deveria ser sido apresentado um rombo na casa de R$ 60 ou R$ 70 bilhões e não de R$ 30,5 bilhões.

“Houve um debate intenso, mas venceu o grupo que insiste em ver as contas com óculos cor-de-rosa. É como se estivéssemos assistindo ao filme Dilma no país das maravilhas”, disse um integrante do governo.

Deixe um comentário