Qualquer semelhança não é mera coincidência

Dilma Rousseff, José Serra e Marina Silva se irmanam na arte de se equilibrar na corda bamba. Evitam tombar à esquerda ou à direita e adotam discurso que não desagrada nem um nem outro. A exceção é Plínio, que não se envergonha de defender o socialismo

Deixe um comentário