PT e José Dirceu ganharam R$ 5,5 milhões

Fonte: opiniaoenoticia.com.br

O corretor de valores Lúcio Bolonha acusa – em depoimentos prestados em 2005, ao Ministério Público Federal – o deputado cassado e ex-ministro da Casa Civil José Dirceu, de ter se beneficiado de negócios por fundo de pensão do PT. Funaro menciona o atual tesoureiro do Partido dos Trabalhadores (PT), João Vaccari Neto, como o responsável pelo gerenciamento dos negócios do fundo.

Investigado por participação no escândalo do mensalão, o corretor de valores conta que, em duas operações do Portus, fundo de pensão dos servidores do setor portuário, Dirceu e PT teriam recebido comissões de R$ 5,5 milhões, “por fora”, o que não confere com o valor divulgado na época.

Em novembro de 2005, Funaro se refere a Vaccari como homem de confiança de Dirceu e Delúbio Soares, o tesoureiro do mensalão. Em defesa, o advogado de Dirceu defende que “”(Funaro) é uma pessoa com a qual o ministro jamais teve qualquer contato pessoal, telefônico ou por terceiros e essas afirmações são levianas, desprovidas de qualquer documento.”

De acordo com o jornal O Estado de São Paulo, a Assessoria Nacional do PT disse que o tesoureiro do partido, João Vaccari Neto, não vai se pronunciar sobre as denúncias envolvendo fundos de pensão.

Deixe um comentário