PSD negocia para atrair Romário

Um dia após ter sua criação autorizada pelo TSE (Tribunal Superior Eleitoral), o PSD (Partido Social Democrático) deu ontem seus primeiros passos como partido. Em busca de maior visibilidade, o partido negocia com figuras famosas. Um dos procurados é o ex-jogador e deputado federal Romário, do PSB.

Romário tem obtido destaque no Congresso por sua postura firme contra a CBF e os benefícios concedidos pelo governo federal para a realização da Copa de 2014.

Atualmente, os principais nomes do PSD são o prefeito de São Paulo, Gilberto Kassab, que preside a nova legenda, a senadora Kátia Abreu, o ex-deputado Índio da Costa, o vice-governador de São Paulo, Guilherme Afif Domingos, e os governadores Omar Aziz e Raimundo Columbo, de Amazonas e Santa Catarina, respectivamente.

Definido por Kassab como um partido de centro, a legenda já tenta mostrar suas diretrizes no Congresso. Ontem, Kátia Abreu – que, como Gilberto Kassab, deixou o DEM para fundar o PSD – circulou pelo Planalto arrecadando assinaturas para apresentar ao Senado uma proposta para revisão da Constituição Federal em 2014.

O prefeito de São Paulo e presidente do PSD (Partido Social Democrático), Gilberto Kassab, fez a leitura de um manifesto na manhã desta quarta-feira, em Brasília, para marcar a criação de seu novo partido. No texto, ele defendeu a criação de uma Assembleia Nacional Constituinte em 2014.

A reforma constitucional pedida pelo partido, presidido pelo prefeito de São Paulo, Gilberto Kassab, é o mecanismo defendido para também fazer as reformas política, fiscal, penal, trabalhista e tributária.

Além de Kassab, o partido tem nomes de peso, como o vice-governador de São Paulo Guilherme Afif Domingos e a senadora por Tocantins Kátia Abreu, que deixaram o DEM.

Manifesto

No manifesto divulgado nesta quarta, o PSD admite que a proposta será atacada como “inconstitucional e impossível”. Mas argumenta que “impossível é viver de remendos constitucionais e improvisações oportunistas”.

Para convocar a Assembleia Constituinte, Kátia Abreu (TO) vai coletar assinaturas para apresentar nas próximas semanas uma Proposta de Emenda Constitucional prevendo a convocação de 250 constituintes.

Foto: Agência Câmara

 

Deixe um comentário