Pré-candidato, Caiado defende antecipação de eleições: “Não é possível um novo ladrão na Presidência”

.
Por Leonel Rocha do Congresso em Foco
.
Desde o impeachment da ex-presidente Dilma Rousseff que o líder do DEM no Senado, Ronaldo Caiado (GO), articula o lançamento do seu nome à Presidência da República. Ele tem conversado com lideranças políticas e empresariais para tentar se viabilizar ao posto hoje ocupado pelo peemedebista Michel Temer. Caiado decidiu assumir a candidatura após a divulgação da gravação de uma conversa entre o empresário Joesley Batista, um dos donos do Grupo JBS, e o chefe do governo sobre compra de juízes, procuradores, informantes da Operação Lava Jato e o pagamento de propina ao ex-deputado cassado Eduardo Cunha (PMDB-RJ), que está preso e ameaçava fazer delação premiada denunciando seu grupo político.

Caiado exige a renúncia de Temer e a antecipação das eleições diretas para a Presidência da República, atualmente previstas para 2018, como solução para a crise política atual. “Precisamos dar dignidade à Presidência”, diz o parlamentar, nesta entrevista em vídeo concedida ao Congresso em Foco. O senador reitera que está disposto a se candidatar. “Uma decisão colegiada [eleição indireta], pelo Congresso, se Temer renunciar não é a mais adequada”, pondera Caiado. Para ele, a saída é dar voz ao povo: “Não é possível que o Brasil coloque um ladrão de novo na Presidência”.

Veja o que disse Caiado à reportagem:

Deixe um comentário