PMDB e PSDB são os favoritos nas eleições para governador

O PSDB e o PMDB disputam hoje quem sairá da eleição com o maior número de governos estaduais. Se as urnas confirmarem os resultados das pesquisas mais recentes, cada um deles terá pelo menos cinco governadores. Há ainda três estados — Minas Gerais, Mato Grosso e Rondônia — onde os dois partidos se enfrentam em disputa acirrada. O desenrolar do xadrez eleitoral nesses colégios pode determinar qual dos dois partidos ficará com o pódio.

A coligação nacional do PMDB com o PT não trouxe amarras para a legenda do vice de Dilma Rousseff, Michel Temer. A liberdade para que os aliados costurassem alianças descoladas da disputa presidencial permitiu que o partido mantivesse a fisionomia de legenda regional. O PMDB tem chances de ser o partido com o maior número de governos estaduais.

O PT, que não acreditava na possibilidade de eleger muitos governadores, até porque abriu mão de espaços para dar lugar aos aliados, ficará com a terceira posição no ranking de governadores eleitos. Hoje, o partido avalia ter condições de conquistar pelo menos três estados no primeiro turno: Acre, Bahia e Sergipe. E ainda tem esperanças de conquistar o Distrito Federal e o Rio Grande do Sul em segundo turno.

O governo de São Paulo desponta como o sonho dos petistas. A cúpula do partido investe tudo para alavancar Aloizio Mercadante e tentar reduzir a vantagem registrada pelo candidato tucano, Geraldo Alckmin.

O PT torce para que Mercadante consiga arrancar um segundo turno. Em caso de uma segunda rodada, o partido do presidente Luiz Inácio Lula da Silva investirá pesado para tentar ganhar o comando de São Paulo em 2011 e romper a hegemonia de 16 anos do PSDB no maior colégio eleitoral do país.

Até agora, as pesquisas de intenção de votos mostram que o PT pode perder o governo do Pará para um tucano. A governadora Ana Júlia Carepa (PT) encontra dificuldades em conquistar a reeleição. A petista sofreu grande desgaste político por não emplacar o estado como uma das sedes da Copa do Mundo de 2014.

A escolha de Manaus (AM) para abrigar os jogos da competição funcionou como munição para o candidato da oposição, Simão Jatene (PSDB), que lidera as pesquisas. A “neutralidade” do deputado Jader Barbalho (PMDB) na disputa para o governo também prejudicou Ana Júlia.

O PMDB do estado decidiu lançar candidato próprio mesmo sem chances de vitória, para não declarar apoio ao PT nem ao PSDB. Na região, a expectativa em um segundo turno é que o apoio de Jader à candidatura petista custe caro para Ana Júlia. A contabilidade das baixas de estados liderados por aliados registra a virada de comando em Goiás e no Paraná, que devem passar às mãos da oposição.

Ciro

No quadro geral de governos conquistados, o PSB aparece em quarto lugar, com a perspectiva de vitória em primeiro turno em Pernambuco, no Espírito Santo e no Ceará. As pesquisas eleitorais indicam que o PSB do deputado federal Ciro Gomes pode sair maior da eleição, mesmo depois das divergências internas exibidas em praça pública, quando o ex-ministro foi impedido de lançar candidatura à Presidência.

Além de Pernambuco, Espírito Santo e Ceará, o PSB pode ganhar também o governo do Piauí. O governador Wilson Martins (PSB) ganhou força nas últimas sondagens de intenção de votos e aparece empatado com o tucano Sílvio Mendes.

O DEM, até agora, está com a liderança no Rio Grande do Norte, onde a senadora Rosalba Ciarlini seria eleita governadora no primeiro turno. O partido tem ainda o senador Raimundo Colombo caminhando para disputar um segundo turno em Santa Catarina contra o PP, que tem como candidata a deputada Angela Amin, líder das pesquisas.

Denise Rothenburg /Josie Jeronimo
Fonte: Votebrasil.com

Deixe um comentário