Pessoas ricas tendem a trapacear mais do que as pobres

Seriam as pessoas mais ricas as mais nobres da sociedade? Essa questão levou Paul Piff, candidato ao Ph.D em psicologia na Universidade da Califórnia, Berkeley, a explorar se classes sociais mais altas são ligadas a ideais mais altos. A resposta que Piff encontrou após conduzir sete diferentes experimentos é: não. A busca do ganho pessoal é um “motivo fundamental entre a elite da sociedade e a vontade cada vez maior associada com maior riqueza e status pode promover comportamentos errados”, escreveram Piff e seus colegas na segunda-feira, 27, no Proceeding of the Natural Academy of Sciences.

A “classe alta”, como definida no estudo, era mais inclinada a quebrar leis ao dirigir, tomar doce de criança, mentir em negociação, trapacear para aumentar suas chances de ganhar um prêmio e apoiar comportamento antiético no trabalho, descobriu a pesquisa. A solução, disse Piff, é encontrar uma forma de aumentar a empatia entre as pessoas ricas.

“Não é que os ricos sejam inatamente maus, mas à medida em que ascende, você  se torna mais focado em si mesmo, diz Piff. “Você pode mudar isso lembrando aos ricos das necessidades dos outros. Isso pode ser suficiente para aumentar seus padrões de comportamento altruísta”. Essa teoria será a base do seu próximo estudo. Piff está curioso para saber como mudar padrões de ganância e egoísmo quando eles emergem.

Cursos de ética

Pesquisas prévias mostraram que estudantes que fazem aulas de economia têm maior chance de descrever ganância como boa. Parear cursos de ética com economia pode ser benéfico, disse Piff.

A tendência é provavelmente resultado de educação, independência pessoal e os recursos que os ricos têm para lidar com consequências potencialmente negativas, escreveram os autores. Enquanto os testes mediram apenas “infrações menores”, esse fator tornou os resultados ainda mais surpreendentes”, disse Piff.

Um experimento convidou 195 adultos usando o site Craigslist para jogar uma brincadeira na qual o computador “rolava dados” pela chance de ganhar um vale compras de 50 dólares. Os números que cada participante obteve foram os mesmos, qualquer um dizendo ter obtido um total maior do que 12 estava mentindo sobre a pontuação. Aqueles nas classes mais altas tinham mais chance de mentir, disse Piff.

Em outra experiência 129 pessoas ficaram em frente a um pote de doces que os pesquisadores disseram ser de crianças que estavam próximas. O resultado foi que os participantes que se disseram mais ricos pegaram mais doces do que os que se declararam pobres.

Fonte: opiniaoenoticia.com.br

Deixe um comentário