Mundo  

Papa traça paralelo entre ateus e nazistas

Fonte: opiniaoenoticia.com.br

A Associação Humanista da Grã-Bretanha reagiu dizendo que declarações de Ratzinger são ‘surreais’.

O Papa Bento XVI causou polêmica logo no primeiro pronunciamento de sua visita à Grã-Bretanha. Nesta quinta-feira, 16, diante da rainha Elizabeth II, Ratzinger lembrou da luta dos ingleses contra o regime de Adolf Hitler, “uma tirania nazista” que queria “erradicar Deus da sociedade”.  Em tom de alerta, ele pediu aos britânicos que “evitassem formas agressivas de secularismo”.

“Quando formos refletir sobre as lições sombrias do extremismo ateísta do século XX, nunca nos deixemos esquecer de como a exclusão de Deus, religião e virtude da vida pública leva em última instância a uma visão truncada do homem e da sociedade, e portanto uma visão reducionista das pessoas e seus destinos”, disse o chefe da Igreja Católica.

Declarações ‘surreais’

A Associação Humanista da Grã-Bretanha reagiu: “A noção de que são as pessoas não-religiosas no Reino Unido que hoje querem impor suas opiniões, vinda de um homem cuja organização se empenha internacionalmente em impor sua forma estreita e excludente de moralidade, além de enfraquecer os direitos humanos de mulheres, crianças, gays e muito outros, é surreal”.

Deixe um comentário