Oposição ficou sem 26 parlamentares

Apesar da lei que diz que o mandato pertence ao partido, muitos políticos optaram por mudar de filiação.

No fim da temporada do “troca- -troca”, como se diz, os três maiores partidos da oposição brasileira perderam 26 deputados. Isto porque, apesar de já ter sido aprovada legislação contra a troca de filiação partidária, muitos parlamentares abandonam o partido pelo qual foram eleitos.
Após as eleições de 2006, o Partido da Social Democracia Brasileira (PSDB), o Partido Popular Socialista e os Democratas tinham juntos 153 deputados. Hoje são só 127.

Para o Deputado José Anibal, líder do PSDB na Cãmara dos Deputados “e claro que os partidos que apoiam o Presidente levam sempre vantagem. Num país como o nosso, onde os partidos políticos são tão fragilizados, onde as fronteiras partidárias são tão diluídas, é mais fácil estar na base”.

O Partido Social Cristão (PSC) e o Partido da República (PR) foram os que mais cresceram. O primeiro subiu de nove para 17 e o segundo de 25 para 44.

Em 2007, as autoridades decidiram que o mandato pertence ao partido e não ao político. Só em caso de fusão ou criação de novos partidos, desvio reiterado do programa partidário ou grave perseguição interna é que o deputado não arrisca perder o mandato. Mas até agora só um dos 18 casos em que houve queixa terminou sem punição.

Deixe um comentário