Brasil  

PF abre inquérito contra faxineira que comeu bombom do delegado

.
Uma faxineira foi detida, acusada de furto qualificado de um chocolate que estava na mesa de delegado-corregedor da Polícia Federal de Roraima

.

143810699_adf74f529eNo mesmo país do Alberto Youssef, do Paulo Roberto Costa, do Nestor Cerveró e do Eduardo Cunha, uma faxineira de 32 anos foi detida, acusada de furto qualificado de um chocolate que estava na mesa do delegado-corregedor Agostinho Cascardo, da Polícia Federal de Roraima.

A acusada retirou o bombom de uma caixa e comeu. Ao sentir a falta da guloseima, a autoridade policial resolveu analisar as imagens das câmeras de segurança da sala e obrigou E.R.S. a pegar a embalagem do chocolate na lata do lixo – para servir como “prova do crime”. A acusada trabalhava para uma empresa terceirizada que presta serviço à Polícia Federal e foi demitida por justa causa. O caso, revelado ontem, ganhou repercussão em redes sociais.

Os internautas de Roraima começaram imediatamente uma campanha para arrecadar chocolates e doar ao delegado. A campanha ficou conhecida como “Operação Sonho de Valsa”, numa alusão muito adequada às cinematográficas incursões dos federais em crimes de grande relevância.

A faxineira sustenta quatro filhos menores de idade.

Ouvida pela imprensa local, ela admitiu ter comido o chocolate mas confessou não imaginar que o delegado fizesse tanta questão de apenas um dos bombons.

Ela prestou depoimento por quase uma hora e assinou a “notícia-crime” se dizendo constrangida e envergonhada. Segundo a assessoria de comunicação da Polícia Federal, o caso foi encaminhado para Brasília e a instituição não vai se posicionar sobre o assunto.

Como os crimes cometidos no Distrito Federal têm um tantinho mais de importância, alguém com um pouco de juízo na força policial sugeriu o arquivamento do caso ao Ministério Público Federal pelo “valor irrisório” do crime.

Em nota, a Diretoria Regional da Associação Nacional dos Delegados de Polícia Federal em Roraima (ADPF-RR) negou que tivesse sido instaurado inquérito policial ou que tivesse sido feita autuação de flagrante ou de qualquer procedimento investigatório de natureza criminal.

 

Deixe um comentário