O “PMDB pode assumir de público que tem a vice de Dilma”, afirma Berzoini

O presidente nacional do PT, deputado Ricardo Berzoini (SP), afirmou na terça-feira que a aliança do partido com o PMDB em torno da candidatura da ministra-chefe da Casa Civil, Dilma Rousseff, à Presidência da República já está fechada. Segundo ele, o vice na chapa será do PMDB. “Essa é uma aliança estratégica não só politicamente, mas para governar o país. Já falei com o PMDB. Os peemedebistas podem, publicamente, assumir que são vice da gente”, disse o líder petista, em entrevista à Agência Brasil.
O presidente da Câmara, deputado Michel Temer (PMDB-SP), cotado para ser o vice na chapa de Dilma, participou na semana passada de um jantar com ministros e as principais lideranças peemedebistas na casa do líder do partido na Câmara, Henrique Eduardo Alves (RN), para discutir a aliança entre PMDB e PT, assegurando a vaga de vice na chapa de Dilma.  “O PMDB está pronto para sinalizar ao país inteiro que, coerentemente, estaremos juntos no palanque de Dilma”, afirmou Henrique Alves, que organizou o jantar.
O anúncio feito por Berzoini agradou a direção do PMDB e deverá intensificar as articulações da direção do partido com vistas a viabilizar a indicação do PMDB para a chapa presidencial em 2010.
Michel Temer informou que o encontro com o presidente Lula para sacramentar a aliança PT/PMDB para a eleição de 2010 deverá ocorrer ainda em outubro. Segundo Temer, durante a viagem à Dinamarca, Lula disse a ele que o encontro ocorrerá depois da viagem presidencial pelo Rio São Francisco. “O presidente me disse, na viagem, que logo depois de sua viagem, ele deve reunir o PMDB, o PT e conversar sobre a aliança”, afirmou Temer.
Lideranças do PMDB defendem que o partido defina logo a aliança com o PT. O vice-líder do PMDB na Câmara, Eduardo Cunha (RJ), é um dos que propõem maior celeridade nessas discussões. Para ele, o assunto já foi debatido o bastante no partido, e a hora de fechar o acordo é agora. Ele destacou que a quase totalidade dos dirigentes estaduais do partido são favoráveis à aliança com o PT.
Segundo Michel Temer, presidente licenciado do PMDB, já há um acordo para que o vice na chapa da ministra da Casa Civil, Dilma Rousseff, pré-candidata do PT, seja do PMDB e que o nome deve ser formalizado no ano que vem. Henrique Alves, anfitrião do jantar, disse que “o PMDB está pronto para sinalizar ao País inteiro que, coerentemente, estaremos juntos no palanque de Dilma”. “Com o pré-compromisso acertado, vamos nos dedicar, como aliados, a tentar resolver as questões nos Estados”, disse Alves. Na sua opinião, a aliança será boa para o país e para os dois partidos. “O PMDB terá a vice e a aliança será boa para os dois partidos. O PMDB é a maior força política, com nove governadores, 90 deputados federais e 1.300 prefeitos. É bom para PT e PMDB que estejam juntos”, acrescentou o peemedebista. O líder do PMDB disse que Dilma deseja a aliança com o PMDB e que o vice será escolha do partido. “Michel Temer é a presença institucional do partido na chapa. Não há nome melhor”, declara Alves.
O líder do governo no Senado, senador Romero Jucá (PMDB-RR), também comemorou a confirmação da aliança entre os dois partidos. “A candidatura entra em nova fase: a explicitação eleitoral. A aliança com o PMDB é fundamental”, disse Jucá.
O presidente do PT concorda que o acordo deve apontar bases da aliança nacional, como forma de ajudar a resolver as peculiaridades dos estados. “As pessoas aqui estão firmemente dispostas a fazer a aliança, PT e PMDB na chapa”, disse. O ministro da Justiça, Tarso Genro, também declarou apoio à aliança nacional do PT com o PMDB, em torno da candidatura de Dilma Rousseff. “Eu sou aliancista nato. Eu coordenei a formação juntamente com o presidente do PMDB, Michel Temer, por determinação do presidente da República naquela época (2006) e sou favorável, sim, a uma coalizão com o PMDB. Porque o PMDB tem condições de dar estabilidade de governabilidade”, disse Genro

Deixe um comentário