O livro mais caro do mundo vai a leilão

O primeiro livro impresso no território conhecido hoje como Estados Unidos vai a leilão nesta terça-feira, 26, em Nova York, onde deve ser arrematado por até US$ 30 milhões, um recorde mundial. O livro de salmos “Bay of Psalms”, do 17º século, é considerado uma relíquia não apenas por ser um objeto extremamente raro, mas também por ser considerado um símbolo da identidade da futura nação.

Poucos anos depois da chegada dos puritanos ingleses à baía de Massachusetts, em 1630, os colonos empreenderam um ambicioso projeto: escrever e imprimir seu próprio livro de salmos. Eles já tinham alguns exemplares, mas como eram reformistas e adeptos do canto congregacional, queriam uma tradução do Livro dos Salmos das escrituras hebraicas que fosse ao mesmo tempo mais próxima do original e escrita em verso.

Uma prensa móvel – provavelmente obtida clandestinamente para evitar leis de licenciamento inglesas – foi trazida de Londres em 1638, junto com 240 resmas de papel. O homem que conseguiu os fundos para levar a prensa ao Novo Mundo, o reverendo Jose Glover, morreu na viagem de volta a Massachusetts, mas sua viúva se instalou em Cambridge e montou a prensa. Em 1640, um funcionário da família Glover chamado Stephen Day imprimiu 1.700 cópias do Bay Psalm Book, de 300 páginas. O volume foi distribuído e usado por congregações de puritanos em toda a colônia. Embora o texto tenha sido reimpresso mais de 50 vezes no século seguinte, a maioria das primeiras edições foi destruída por décadas de uso.

Acredita-se que apenas 11 exemplares tenham resistido à passagem do tempo. A histórica Igreja Old South, em Boston, está vendendo um de seus dois exemplares neste leilão da Sotheby’s nesta terça, em Nova York. É a primeira vez que o livro aparece no mercado desde 1947, e provavelmente a última vez.

A Igreja Old South diz que não tem planos de vender sua última cópia, e os outros nove livros são itens muito bem guardados em grandes coleções e bibliotecas dos EUA.

A Sotheby’s estima que o Bay of Psalms arrecade entre US$ 15 e US$ 30 milhões, o que superaria por ampla margem o recorde de US$ 11,5 milhões obtidos por um livro vendido em leilão em 2010, um raro exemplar de “Aves da América”, de John James Audubon.

 

 

 

Deixe um comentário