O lado perverso da disputa eleitoral

Apesar de no geral a população das grandes cidades se envolver muito menos com a política, a competição pelas prefeituras chega a 10 ou mais candidatos.

Os gastos explodem, não apenas com a faceta visível das campanhas – o programa eleitoral, os comícios, o material de divulgação das campanhas majoritárias e de vereadores e as equipes contratadas para abastecer as mídias sociais –, mas, sobretudo, com a propaganda negativa.

No “submundo” da política, há cabos eleitorais “ocultos”, contratados para frequentar táxis, ônibus e aglomerados para difamar candidatos em “depoimentos” pessoais que relatam fatos desabonadores.

Nas redes sociais, as estratégias variam de ataques diretos, com equipes voltadas para abastecer “correntes”, a ataques indiretos, por meio de peças publicitárias postadas no YouTube sob a forma de vídeos humorísticos desqualificando o adversário. Além disso, há os já tradicionais candidatos “laranja”, em geral de legendas nanicas, que “vendem” o seu espaço de propaganda gratuita, atacando os adversários de quem pagar mais.

Se em Juiz de Fora, Uberlândia, Montes Claros, Uberaba, Betim e Contagem uma campanha competitiva não custará menos de R$ 15 milhões e empregará a mais sofisticada parafernália para conquistar prefeituras, em Belo Horizonte, os gastos chegarão a quase R$ 60 milhões – isso, considerando apenas o que foi informado oficialmente pelos principais candidatos.

Como é a campanha em MG

Nas pequenas cidades

» Corpo a corpo, de casa em casa, para um café e muita conversa

» Cartazes

» » Pequenos comícios

» Material de campanha para candidatos a vereador aliados

» Novos recursos do tipo “carros-televisão”

Nas grandes cidades

» Planejamento estratégico para a definição dos eixos estruturantes e conceito da retórica da campanha

» Equipe para a elaboração do programa de governo, segundo os eixos apontados pelo planejamento estratégico

» Equipe para vasculhar a vida dos adversários e embasar os ataques de campanha

» Equipe para atuar nas mídias sociais

» Equipe de comunicação para as mídias tradicionais

» Contratação de agências para a elaboração do programa eleitoral gratuito de rádio e de televisão

» Material de campanha majoritária: cartazes, santinhos e outros

» Cabos eleitorais e “torcidas” para a recepção de candidatos em debates e em eventos

Fonte: votebrasil.com

Deixe um comentário