No país do Vale Tudo!

.
Por Claudia Schamis
.
cofre-300x202Apesar de termos uma turma que luta para que o Brasil não seja reconhecido internacionalmente como o país do oba-oba, do balacobaco, do vale tudo, sempre tem que ter alguém com a brilhante ideia de sujar o terreno que tentamos começar a limpar.

Hoje, quarta-feira (28), enquanto escrevo o texto, poderá ser votado na Câmara dos Deputados um projeto de lei que vai contra todas as definições de crime de qualquer espécie.

Nesse novo projeto de lei – é lei mesmo? – o pecador, o criminoso, sairá isento de qualquer condenação por ter enviado para o exterior uma graninha extra que ele ganhou recebendo propina, pode ter sido grana do seu caixa 2, caixa 3 e quantas caixas a pessoa tiver, pode ser grana da venda de drogas, tráfico humano, tráfico de órgãos (fígado, rim, coração, alcatra, maminha, picanha). Ou seja, o delinquente poderá repatriar o dinheiro sem ter que dá nenhuma satisfação de onde veio o dinheiro. Para ter esse direito o meliante, quero dizer, o sujeito, deverá apenas pagar no total 30% – que não é propriamente uma propina, mas metaforicamente pode até ser considerada – do total que ele quer repatriar, ou em outras palavras, tornar legal.

O ilegal se torna legal e ponto. Todos ficam felizes. O governo que arrecada com o imposto e a multa e o contribuinte que não precisa mais se esquivar e pode dormir mais tranquilo sem ter o medo de que alguma investigação descubra toda a grana escondida.

Se irá passar, só saberemos depois, mas só do projeto de lei estar indo para votação, já mostra que definitivamente não somos um país sério. Podemos até tentar fazer pose de sério, mas não somos, e nunca seremos. Pelo menos não nas próximas quatro gerações.

Na razão de Cunha!

Eduardo-Cunha

Os juristas Hélio Bicudo, Miguel Reale Júnior e Janaína Pachoal enviaram pedido de impeachment contra a presidente Dilma Rousseff e a área técnica da Mesa Diretora da Câmara está concluindo um parecer que tende a ser favorável.

Fala-se que o pedido é “juridicamente perfeito” e que só dependeria única e exclusivamente de Eduardo Cunha, (ainda) presidente da Câmara acatar e dar prosseguimento ao processo.

Porém, sempre na política existe a presença da conjunção adversativa totalmente explícita, sem a menor desfaçatez, de que uma ação está diretamente ligada a outra ação. E essa outra ação seria o encaminhamento ou não pelo procurador-geral da República, Rodrigo Janot, do pedido do afastamento do presidente da Câmara ao Supremo Tribunal Federal (STF).

Isso acontecendo, ele, Eduardo Cunha, decidirá monocraticamente, como é garantido por lei, pelo encaminhamento favorável à abertura do processo de impeachment de Dilma.

Ou seja, é uma troca de figurinhas. Mas no jogo da política, do terror, da chantagem, Eduardo Cunha disse que não recebeu nenhum parecer da área técnica da Casa sobre os pedidos de impeachment e disse ainda que caberia a ele e só a ele única e exclusivamente a decisão sobre se segue adiante ou deixa tudo como está. O parecer técnico é apenas um “plus” para embasar a decisão. Mas que não é necessário.

O que vemos é o retrato do nosso país. O presidente da Casa só decidirá sobre uma possível mudança nos rumos do nosso país não porque ele enxerga que isso é o correto, que isso é o que é, que os fatos estão aí e não tem como contestar. É preto no branco. Mas infelizmente a sua decisão paira somente em função do que farão com ele. Se garantirem ele como presidente da Câmara ele ajuda a manter a Dilma como presidente do país. Uma presidência por uma presidência. É pegar ou largar.

Desagravando Lula!

Lula1

Não é nada disso que você está pensando. Infelizmente desagravar não é algo ruim, pelo menos para o Lula não é.

O PT comovido com a dor de Lula ao ver a Polícia Federal invadindo a vida de seu filho Luis Claudio Lula da Silva, na Operação Zelotes, e aproveitando o aniversário de Lula que completou 70 anos, fará um ato de desagravo ao ex-presidente Lula. Esse ato será um documento em defesa do ex-presidente Lula e seu governo.

O PT vê a ação da PF como mais uma “tentativa de criminalização” do partido, e porque existem pessoas com medo de que Lula em 2018 volte a ser presidente. O presidente do PT paulistano, Emídio de Souza, disse que as “longas mãos do preconceito e do ódio” alcançam os filhos de Lula. E que essa “caçada” a Lula começou lá atrás, até antes da criação do PT e que voltou com “força descomunal nesse tempo de império do ódio”.

Faz-me rir.

Ou seja, tudo o que se faz ao PT é um ato de alguma coisa contra um partido e seus membros que se consideram vitimizados pela mídia, pela oposição que mantém uma inveja de tudo o que o PT conseguiu fazer para um Brasil melhor. De tudo que o PT fez para o povo. Pelo povo.

Chego a achar comovente essa adoração que se tem pelo Lula. Não importa o que ele faça, ele é e sempre será “o cara”. Ele pode roubar, pode matar, pode cuspir, pode mentir. Ele pode tudo, e para os petistas nada importa. É quase como um Deus. Lula é um vício. E mal sabem eles que certos vícios podem matar. E esse mata.

Salve as baleias. Não jogue lixo no chão. Não fume em ambientes fechados.

Deixe um comentário