No país do insignificante!

.
Por Claudio Schamis
.

Somos só um tiquinho insignificantes

Somos só um tiquinho insignificantes

Quando, e somente quando, o governo encarar tudo de frente, de peito aberto, com coerência, com coragem e transparência verdadeira é que talvez possamos começar uma nova caminhada. Ou simplesmente respirar aliviados.

Esse papo de que nada do que está acontecendo é grave é conversa para boi dormir e até onde eu sei o boi cansou de dormir.

No passado, ouvimos que a crise mundial era uma simples marolinha para o Brasil. Que a culpa da crise era daquela “gente branca de olhos azuis”. Frases cunhadas por Lula, o pai de todos os males que estamos vivendo hoje. É também de Lula a análise de que o rebaixamento sofrido pelo Brasil não significa nada. Assim como o ministro Levy acha que a criação do CPMF que iria se chamar CPPrev, que iria ajudar no rombo da Previdência, é um imposto “pequenininho” por estarmos falando de dois milésimos. Esquece-se o ministro que esse pequenininho imposto se agiganta quando este é cobrado em cascata. Será mesmo que é esquecimento? E Levy ainda diz que é só por um tempinho. É coisa temporária. Será que o ministro nunca escutou ou estudou Milton Friedman que dizia: “nada é mais permanente do que medidas temporárias”.

É, todos estão redondamente enganados e o Brasil é um poço de vitalidade. Cala a boca, Lula!

Na verdade, insignificantes somos nós que estamos no meio do tiroteio vendo empresas morrerem, empregos morrerem, planos e sonhos morrerem enquanto o próprio governo se mostra cego e completamente dividido. E quando digo dividido é uma parte querendo caviar e aumento de impostos e a outra parte preferindo frango e corte nas despesas, mas de forma verdadeira. Sem falar que o governo está completamente perdido. Uma hora fala em ressuscitar a CPMF, depois descarta e depois vê nela uma solução. Mas está perdido porque quer, porque não tem coragem de bancar medidas que rasgariam a própria carne e poderiam desagradar certas pessoas. Antes eles preferem rasgar a nossa. Dói menos. Ou melhor, dói é nada. E quanto a nos desagradar, qual o problema? “Amanhã” tudo é passado. Tudo foi esquecido.

O governo declarou na última sexta-feira (11), que só aumentará tributos após reduzir gastos, e logo depois, na segunda-feira (14), propôs um aumento de R$ 40, 2 bilhões na arrecadação – óbvio via aumento de impostos, a menos que alguém tenha uma máquina de imprimir dinheiro – e um corte de apenas R$ 26 bilhões nas despesas.

Diante disso realmente dá para acreditar no que o governo fala? Será que estamos diante de um governo com bipolaridade, psicologicamente falando?

Mas se o governo acha que com medidas ridículas, que chegam a ser uma cusparada na nossa cara, vão conseguir nos convencer de que estão fazendo a parte deles… Sei não.

E foi então que o governo – e nem sei como – resolveu cancelar a compra de prataria que seria usada nas cozinhas dos palácios presidenciais. Mas mesmo assim a crise não foi suficiente para impedir a compra de objetos de luxo, como em abril, por exemplo, quando foi autorizada a aquisição de dez baldes de gelo térmico no valor de R$ 9 mil. Mas cancelaram a compra de fogões e fornos elétricos com custo de R$ 400 e R$ 8 mil por unidade. Ah então, o que são dez baldes?

Enquanto o próprio governo não se encontrar e continuar com essa briga de egos, a coisa não vai evoluir. Será que eles não poderiam brigar politicamente em outro momento? Precisava ser agora? É necessário se sentar à mesa e debater esquecendo-se dos partidos. Nesse momento deveríamos ser do partido Brasil.

Mas infelizmente não vemos o partido Brasil ser defendido. No Congresso, a negociação do pacote fiscal é tensa e os partidos de oposição estão firmes em negar qualquer possibilidade de respiro ao governo. Até mesmo alguns da situação se recusam a ajudar, acusando Dilma de estar sendo fraca diante das exigências de seu ministro Joaquim Levy.

Aí fica muito complicado, né? Mas tenho que concordar com o presidente da CUT, Vagner Freitas, quando este diz que “o pacote que o governo quer nos imputar é totalmente recessivo e imputa a culpa da crise aos trabalhadores”.

Sei que todos deveriam em algum momento se juntar e se ajudar. Fazer a sua parte no sacrifício pelo bem comum. Mas o governo Dilma tem tomado atitudes de tal maneira que as únicas pessoas que estão sendo sacrificadas até agora somos nós que não temos culpa da crise que estamos passando. A “nossa” (entre aspas, pois não votei no PT) culpa é outra. Ter colocado essa gente em Brasília é “nossa” máxima culpa. E não foi por falta de aviso.

Enfim, eu sempre soube que a culpa é das estrelas.

Salve as baleias. Não fume em ambientes fechados. Não jogue lixo no chão.

Deixe um comentário

3 comentários para “No país do insignificante!”

  1. ⇒ João Cirino Gomes disse:

    Brasil o país das maravilhas, para os corruptos, embusteiros e canalhas e de miséria para o trabalhador!
    Bilhões de dólares desviados do tesouro; dólares falsificados sendo distribuídos pelo próprio banco central, e 99% dos políticos, juízes e ministros envolvidos em corrupção.
    Como poderemos falar em justiça social, justa distribuição de rendas, Ordem e Progresso, se durante a noite, estes ratos e parasitas devoram tudo que os trabalhadores produzem durante o dia?
    Como poderia ser esta a pátria amada; se somos ameaçados por pseudos salvadores da pátria, que depois de eleitos; roubam-nos, nos escravizam, nos ameaçam e diz, quem pode mais chora menos?
    Segundo a constituição, todo cidadão deve ter os mesmo direitos perante a lei e a justiça: Como pode ser isso, se as cadeias e os presídios estão superlotados, mas só de pobres, sem poder aquisitivo, sem educação, sem eira e nem beira; e como poderemos continuar confiando em instituições governamentais?
    Se em uma democracia deve prevalecer o direito e a vontade da maioria, vamos fazer valer nossos direitos e mostrar a força que temos!
    Só com intervenção constitucional, teremos Ordem e Progresso para todos; indiferente de cor, raça, religião, ou classe social! Da forma que esta, as Ordens são para os Humildes, e o Progresso para os canalhas, corruptos, demagogos, hipócritas e embusteiros!

  2. ⇒ Jesuina disse:

    Pra falar a verdade verdadeira, eu amei este artigo, pois chama realmente o pecado pelo nome. Chega de blá, blá, blá e vamos arregaçar a manga, óh Congresso Nacional…

  3. ⇒ João Cirino Gomes disse:

    Vamos analisar; não é só engolir as mentiras de políticos embusteiros, e dizer amém para tudo!

    De comum acordo, os políticos estão pagando a mídia e seus pelegos “com nossos impostos”, para nos ludibriar, nos induzir aos caminhos enganosos que nos escravizam, e só favorecem a eles mesmos!

    Com a intervenção e o fim da imunidade parlamentar, não vamos mais precisar nos preocupar com segurança. Pode ter certeza, com o fim desta lei de imunidade, que só serve para acobertar corruptos, o índice de criminalidade cai naturalmente 99%!

    Vejam se nos “EUA” Estados Unidos da América, existe esta lei de imunidade! Existe nada! Assista ao vídeo e comprove! https://youtu.be/VADyTG5qVl0

    Os responsáveis pelo aumento da miséria, pela falta de verbas para educação, saúde, moradia e segurança, estão só ludibriando a população e pagando a mídia sensacionalista, para mostrar ao mundo, meninos descalços, sem camisa, aparentemente desnutridos, e os responsabilizar pelo aumento da violência e criminalidade.

    Mas na realidade, os responsáveis são os próprios políticos, com suas corrupções, desvios, superfaturamentos e enriquecimentos ilícitos. Pena que o povo não percebe, e fica cobrando errado! Para sanar o problema, precisamos conhecer de onde este problema procede, e cortar a fonte!

    E não ficar só remendando, de forma enganosa!

    A intenção dos políticos em diminuir a idade penal é lotar as cadeias e presídios e lucrar com a estadia dos presos, por isso já falam em privatizar os presídios!

    Se os políticos estivessem interessados em solucionar este problema, não deixariam a educação sucateada, não teriam criado lei proibindo menores de trabalhar, não estariam apoiando e até participando de passeatas para liberação de drogas, não estariam distribuindo kit gay nas escolas,

    Se os políticos estivessem preocupados com o aumento da miséria, da violência e criminalidade, estariam retirando dos vasos internos às plantas espinhosas, punindo com rigor os atos de corrupção, que estão degradando todos os bons costumes e destruindo a esperança de termos uma sociedade livre, culta e pacifica!

    Os políticos atuais estão usando nossos impostos para formar o jovem que é ao futuro da NAÇÃO, ou para formar vagabundos, gay, viciados, traficantes e prostitutas?

    Pensem bem, e deixem de ser ludibriados. Nossa política é um espetáculo teatral, onde o povo por falta de discernimento acaba fazendo papel de palhaço! Enfim segundo a constituição; todo cidadão, independente de cor, raça religião, ou classe social tem os mesmos direitos perante a lei e a justiça!

    E se é assim; por qual motivo as cadeias e os presídios estão repletos de pobres, a maior parte dos presos analfabetos, sem educação, sem poder aquisitivo, sem eira nem beiras, ou parentes importantes?
    Os políticos dizem que cada preso custa em torno de quatro mil e quinhentos reais mensais aos cofres públicos, e vc acredita nisso?

    Que tal gastar 30% deste valor em educação de qualidade?

    E notem nem uma faculdade em período integral, custa tanto quanto dizem custar à estadia do preso,
    Será que a cadeia é mais instrutiva que uma faculdade em período integral?

    E se um preso custa quatro mil e quinhentos reais, por qual motivo o salário de um pai de família que trabalha o mês todo, de sol a sol, não chega a mil reais; e com valor tão irrisório o pai de família precisa se manter e sustentar sua família?

    Abra sua boca a favor do mudo pelo direito de todos que perecem!
    Provérbios Rei Lemuel!