‘Não deem seu voto à Sra. Dilma Rousseff’, diz bispo em jornal católico

Fonte: votebrasil.com

Bispo de Guarulhos associa petista à defesa da legalização do aborto. Ele assina texto na edição de outubro da ‘Folha Diocesana’.

Em texto publicado na edição deste mês da “Folha Diocesana”, jornal da Arquidiocese de Guarulhos (SP), o bispo dom Luiz Gonzaga Bergonzini pede aos leitores que não votem na candidata do PT à Presidência da República, Dilma Rousseff.

“Não reformo ou ‘mascaro’ a verdade. Não altero quanto eu já escrevi a respeito da defesa da vida para agradar a outros ou esconder a verdade. Reafirmo o que em artigos anteriores escrevi e mantenho. Não Votem em Candidatos ou Partidos que Apoiam o Aborto.

Reafirmo o que antes disse no meu primeiro artigo acima citado: Não deem seu voto à Sra. Dilma Rousseff” [os grifos são originais], afirma dom Luiz Bergonzini no texto do editorial, intitulado “Autenticidade e coerência”.

Com tiragem de 28 mil exemplares, segundo o expediente da publicação, o jornal é distribuído nas paróquias e em missas nas igrejas da cidade. Na página 11 da mesma edição, o artigo “Os Cristãos, o PT e a liberdade de consciência”, assinado pelo padre Berardo Graz, membro da Comissão de Defesa da Vida da Diocese de Guarulhos, aborda a questão do aborto e critica o PT.

Desde sábado (16), o G1 tenta contato com dom Luiz Gonzaga Bergonzini, mas não conseguiu localizá-lo por telefone nem na diocese, em Guarulhos. Nesta segunda (18), a secretaria da Diocese informou que o bispo não falará com a imprensa.

Em julho, em entrevista ao G1, dom Bergonzini disse que orientaria os padres da cidade a pregar nas missas o voto contra Dilma Rousseff, em razão, segundo ele, da defesa da legalização do aborto pelo PT nos congressos de 2007 e 2010 do partido.

CNBB

Por meio de sua assessoria, a CNBB informou que não indica partido nem candidato nas eleições e que o bispo que indicar o faz “sob sua própria responsabilidade”. Segundo a assessoria, não cabe à CNBB punir os bispos que fizerem indicações.

A assessoria informou que, em 8 de outubro, a CNBB divulgou comunicado sobre o assunto. “Reafirmamos, ainda, que a CNBB não indica nenhum candidato, e recomendamos que a escolha é um ato livre e consciente de cada cidadão”, diz o documento.

Autoria

O texto dos folhetos impresso na gráfica de São Paulo e apreendidos pela Polícia Federal, intitulado “Apelo a todos os brasileiros e brasileiras”, é assinado pela Comissão em Defesa da Vida do Regional Sul 1 da CNBB, que reúne 47 dioceses no Estado de São Paulo.

Na manhã deste domingo o site da CNBB publicou nota do Regional Sul 1 que afirma que o Regional não patrocina a impressão e a distribuição de folhetos a favor ou contra candidatos.

A nota é assinada pelo bispo de Santo André (SP), dom Nelson Westrupp, presidente do Conselho Episcopal Regional Sul 1 e por “bispos do Regional Sul 1”.

Na tarde de domingo, em entrevista ao G1, o vice-presidente do Conselho Episcopal Regional Sul 1, dom Benedito Beni dos Santos, bispo de Lorena (SP), defendeu a divulgação dos panfletos com o texto “Apelo a todos os brasileiros e brasileiras”.

Ele afirmou que o texto é “legítimo” e que foi aprovado pelo Regional Sul 1 com a recomendação de que tivesse “ampla divulgação”. O bispo afirmou que a distribuição do folheto começou na campanha do primeiro turno e que continuará na do segundo turno.

Deixe um comentário