Brasil  

“Não acredito em nada. Muito menos na Justiça brasileira”, diz pai de Sandra Gomide

Redação Portal IMPRENSA

O assassinato da jornalista Sandra Gomide completa nesta sexta (20) 10 anos sem uma decisão da Justiça sobre o destino de Antônio Marcos Pimenta Neves, que confessou ser o autor do crime e que ainda permanece em liberdade graças a um habeas corpus concedido pelo Superior Tribunal de Justiça (STJ) em 2007.

Segundo o jornal O Globo, os pais de Sandra, João e Leonilda Gomide, passaram por dificuldades depois da morte da filha. O pai da jornalista teve câncer no intestino, problemas nos ossos e uma cardiopatia. Já Leonilda desenvolveu um distúrbio bipolar grave e chegou a ficar 10 meses em coma por causa de uma embolia pulmonar.

“Tem dia, à noite, que me dá vontade de morrer. Já até propus para a minha mulher: ‘Vamos tomar nós dois chumbinho, dar um tiro na testa, sei lá’. Mas minha mulher não aceita isso. E eu não posso deixá-la sozinha”, disse Gomide.

Sobre Pimenta Neves, os familiares de Sandra veem com pessimismo a lentidão da Justiça: “Só acredito em Deus. Não acredito em nada. Muito menos na Justiça brasileira. Nessa, nunca. Acho que vou morrer sem ver Pimenta preso. Ele está condenado, mas não foi preso.”

Atualmente, cabe ao Superior Tribunal Federal (STF) decidir sobre dois recursos extraordinários impetrados pelos advogados do jornalista, que pedem a anulação do julgamento que o condenou em 2006. Se o STF concordar com o pedido dos advogados, Pimenta Neves ficará em liberdade. Caso contrário, o ex-diretor de redação do jornal O Estado de S. Paulo poderá cumprir pena de 15 anos. Como já ficou 7 meses preso, poderá entrar em regime semiaberto depois de 1 ano e 8 meses de prisão.

Deixe um comentário