Brasil  

Ministro diz que estádio do RS é o único com obra atrasada para Copa

O ministro do Esporte, Aldo Rebelo, afirmou nesta sexta-feira (2), durante o programa “Bom Dia Ministro”, que a obra do estádio do Internacional em Porto Algre é a única que está atrasada entre os demais estádios que sediarão jogos da Copa do Mundo de 2014.

“Nas doze cidades-sede, verifiquei a situação de todos os estádios. Só há atraso que precisa ser recuperado no Rio Grande do Sul, no estádio do Internacional, porque lá o clube se dividiu em uma polêmica. Mas nada que possa prejudicar. Estamos com [as obras da] Copa do Mundo dentro do prazo. […] Podemos ficar tranquilos”, afirmou Rebelo.

Segundo ele, o atraso no Rio Grande do Sul ocorre porque “há divergência entre os conselheiros do Inter [em relação ao projeto], o que paralisou uma decisão final e, portanto, o início da obras”.

Aldo Rebelo afirmou ainda que não haverá “motivo para decepção com a Copa do Mundo de 2014”. “Minha impressão é que se o Brasil precisasse organizar a Copa do Mundo daqui a 2 meses ele estaria preparado”.

Fifa

O ministro afirmou que, para o evento esportivo ser “resolvido com eficiência”, é preciso “rigor no controle e aprovar a Lei Geral da Copa”, legislação sobre as regras do Mundial que está em discussão no Congresso.

Aldo Rebelo diz ainda não ver “problemas” na relação entre o governo brasileiro e a Federação Internacional de Futebol (Fifa).

“Nossa relação é de cooperação. Podem existir diferenças naturais. Houve divergência em relação à meia-entrada para estudantes e idosos.

Eu reivindiquei à Fifa que haja uma parcela de ingressos destinada à população de baixa renda, de beneficiários do Bolsa Família, as populações indígenas. No caso do Bolsa Família, é a maior festa do esporte do mundo, mesmo a meia-entrasa não resolve, não podemos deixar essa população de fora.”

Antecessor

Durante o programa, o ministro comentou ainda as denúncias contra seu antecessor, Orlando Silva, que deixou o cargo após denúncia de envolvimento em irregularidades.

“A questão é que o ministro Orlando Silva pode provar sua inocência, mas o acusador é quem deveria provar a acusação. Hoje, o acusador não apresenta nenhuma prova.

Quem acusou nem fala mais na acusação. Ele vai procurar reuperar sua imagem de homem público diante de uma acusação que fica só naquilo de ouvi dizer.”

Fonte: votebrasil.com

Deixe um comentário