Mercadante diz que Dilma faz “espancamento” de projetos

Por Mariana Haubert – congressoemfoco.com.br 

Em tom de brincadeira, Mercadante ensina a Raupp como deve trabalhar com Dilma, tida como rigorosa e detalhista com projetos apresentados.
  
Ao tomar posse como ministro da Educação, na tarde desta terça-feira (24), Aloizio Mercadante deu conselhos para o seu sucessor no Ministério da Ciência e Tecnologia, o cientista e técnico Marco Antonio Raupp que exercia o cargo de diretor da Agência Espacial Brasileira. Ele disse que, criteriosa, a presidente Dilma Rousseff costuma receber os projetos dos ministros fazendo “espancamento” das ideias apresentadas.
 
Mercadante afirmou que a presidenta é detalhista. Segundo ele, ao apresentar um projeto, não é aconselhável tentar convencê-la  se Dilma fizer qualquer crítica à proposta. “Queria dar um conselho, Raupp, dos despachos com a presidenta. Toda vez que você levar um projeto, ele vai ser desconstituído”, afirmou Mercadante, que substitui Fernando Haddad, que saiu para disputar a candidatura à prefeitura de São Paulo como candidato do PT.
 
Ao som de risos dos convidados, Mercadante afirmou que Dilma submete os projetos a um “espancamento” para verificar se cada um deles “fica de pé”. “Volte para casa, junte a equipe, trabalhe intensamente e volte a apresentar o projeto”, afirmou. “É exatamente assim. Os ministros sabem que estou dizendo a mais absoluta verdade. E isso é atitude de quem tem compromisso com o gasto público”, disse.
 
Mercadante ressaltou também a importância de convênios entre universidades e empresas, necessários para expandir a pesquisa e a inovação no país. “Ainda é muito reduzido o número de empresas brasileiras que investem na pesquisa e desenvolvimento de novos produtos ou serviços para o mercado. Sem o investimento em pesquisa, as empresas brasileiras não inovam, perdem competitividade e correm o risco de serem engolidas ou trucidadas pelas concorrentes de outros países”, disse.
 
Para Mercadante, o papel das universidades deve ser a “formação de profissionais qualificados para atender às diversas demandas da sociedade, acompanhada da realização de pesquisa científica”. No entanto, para ele, os institutos de pesquisa “são o ente mais apropriado para fazer a intermediação do conhecimento científico com o sistema produtivo”.
 
Eficiência
 
Raupp respondeu a Mercadante destacando o que chamou de “eficiência gerencial” aplicada por Dilma. “Eu agora estou comprovando tudo isso. A exigência de otimização, otimização dos recursos, é uma tônica no comportamento dela [Dilma]“, disse. Ele afirmou ser “fã” da presidenta. “Nestes últimos dias, participei de várias reuniões ministeriais e fiquei impressionado com sua forma de trabalhar e buscar resultados efetivos. Eu já era seu fã, agora sou mais ainda”, disse Raupp.
 
Para novo ministro, um dos principais objetivos do MCT será promover pesquisa científica em universidades e institutos. Ele falou também sobre o programa espacial brasileiro, que desenvolve projetos de lançamento de satélites em parceria com a China. Raupp classificou a pasta como parte de “um eixo estruturante do desenvolvimento”. “Não venho aqui para inventar a roda. Meu dever é fazer a roda girar em ritmo acelerado.”
 
A proposta de casamento entre o MCT e o Ministério da Educação, feita por Dilma, já foi entendida por Raupp. Ele garantiu que trabalhará em conjunto com Mercadante. “Mercadante e eu vamos continuar juntos. A educação é a fonte de todo o sistema de ciência e tecnologia, o eixo estruturante do desenvolvimento. Sem educação não há saída, é uma lei universal. Aqui ou em qualquer lugar do planeta.”

Deixe um comentário