Mensalão II: a missão

Por Claudio Schamis – opiniaoenoticia.com.br

Acabado o julgamento do mensalão e restando apenas que os ministros passem a régua e terminem com o cálculo das penas (a famosa dosimetria), resta a nós rezar um pouco e reforçar o pedido do PPS para que o Ministério Público abra agora a investigação sobre o pai da cria: Lula.

Esse é irmão…

Até onde eu sei, Lula só perdeu o dedo, não a visão. Então, essa história de que ele não viu, não sabe, não dá para engolir, e acredito que a grande maioria da sociedade também concorda com isso.  Sei que aos defensores de Lula e do PT só resta nos atacar, e que ataquem. Mas o mais irônico é que quando eles atacam, é com paus, pedras e xingamentos. Não é com argumentos ou provas incontestáveis. Se elas existissem, tipo um laudo médico dizendo que Lula é surdo, ou ainda, que a acuidade visual do Lula é prejudicada ou ainda que ele sofre de uma doença rara que causa apagões na região da memória em casos de extrema tensão, eu poderia até me render e acreditar, mas não é o caso.

É como no ramo do narcotráfico, existem cargos e uma hierarquia. E seria como, por exemplo, o dono da terra onde se cultiva a cocaína dizer que achava que estavam plantando alfafa e brócolis. O Lula era o dono da terra. E como todo dono que se preza tem um braço direito e um esquerdo, para em casos de emergência o braço direito levar a culpa e assumir tudo – que nem foi o caso, pois esse braço se diz inocente – o braço direito do Lula era José Dirceu. É ele quem aparece como “o cabeça”, mas nem tudo são flores e braços direitos. Sabemos que em algum lugar existe ainda alguém. Um maestro.

Sério, queria pela primeira vez na vida ver os amantes do PT e do Lula terem a dignidade de assumir que o mestre não é tão belo assim. As pessoas erram. Eu já errei. Você já errou. Ou vai errar. É inerente ao ser humano errar. Mas achar que Lula não é ser humano, é mais que isso, é deus, como definiu a ministra Marta Suplicy, não deveria tirar de vocês que os deuses (com letra minúscula tá, gente) também erram e devem ser punidos. Mas tenho certeza que com um bom terapeuta vocês podem se recuperar da decepção amorosa. A psicanálise hoje pode ajudar e muito. Em último caso pede um tarja preta, deita e chora.

Tudo seca, menos a ganância de nossos políticos!

Mais uma denúncia para entrar na lista do clube da política inacreditável. O governo quando lança seus programas para favorecer os mais pobres e às vezes os miseráveis na dor da palavra, deveria deixar claro que o programa é só para beneficiar quem realmente precisa. Mas se isso fosse regra, de qualquer maneira iam dar um jeitinho de burlá-la. Eles sempre dão.

No Nordeste tem servidor público e empresários sendo beneficiados com ajuda do governo por causa da safra e da seca. É o Garantia Safra, que no caso deles, deve ser para garantir a safra de um novo modelo de carro, de uma nova viagem ao estrangeiro, do vinho tomado com arroz de pato num jantar casual, enquanto o agricultor que tem somente três garrafas PET cheias com o que se salvou da seca fica a ver a seca, porque navios só onde tem água, né?

Mas se roubam dinheiro de merenda escolar, roubar dinheiro de um pobre agricultor lá do interior do interior, que talvez nem apareça no mapa, talvez nem deem falta. Quem vai saber, né?

Existe uma praga a ser combatida: político-cupim. Eles geralmente dão quando se tem de um lado uma miséria ou um problema e do outro lado muito dinheiro sendo acenado para ajudar essas pessoas. É uma raça deplorável de político, mas que infelizmente o eleitor continua colocando lá dentro da Câmara, da Prefeitura, seja ele vereador, senador, deputado, prefeito, governador ou presidente. Ops..

Eu falei presidente? Ato falho.

A marca do governo Dilma, “Brasil Sem Miséria”, pode ser até bonita na foto, mas na prática vem enriquecendo quem não precisa e tirando de quem não tem quase nada.

Até as crianças – como se isso fosse novidade – também não escapam das garras desses malfeitores. Que na hora da campanha afagam e beijam e depois batem, pisam e matam.

Na Paraíba, as fraudes no Programa do Leite podem chegar a R$ 10 milhões. Em Pernambuco, as fraudes estão no Programa de Aquisição de Alimentos. Hoje é festa no “apê” de alguém.

Fora as fraudes e desvios de dinheiro, como se fosse “só isso”, moradores do Pará esperam por instalação de energia elétrica na região desde 2004. Ou seja, como você acha que essas pessoas vivem? E olha que no governo Lula existiu o programa Luz Para Todos. Mas como não tinha luz, não conseguiram enxergar o depois da vírgula que deveria dizer, “menos pra você, você, você e você”.

Mas fico pensando, pra quê luz? Pra quê levar mais informação a essas pessoas? Se formos contabilizar, será uma boa quantidade de votos certos, pois sem informação, é só chegar um “bom” candidato por lá, levar um caminhão de velas e prometer que se eleito ele dará luz à luz, numa espécie de concepção milagrosa.

Esse é o nosso Brasil, sil, sil, que nem todos veem, outros veem e não enxergam, e tem até o time que vê e PT, saudações.

Deixe um comentário