Brasil  

Médico é acusado de operar lado direito do cérebro em vez do lado esquerdo

Verônica Cristina do Rêgo Barros,  31 anos, morreu na madrugada do sábado (7) vítima de um suposto erro médico no Hospital Getúlio Vargas, na Penha, no subúrbio do Rio de Janeiro. Ela teria sido operada, equivocadamente, do lado direito do cérebro em vez do lado esquerdo, onde um laudo recomendara urgência na intervenção cirúrgica.
O drama de Verônica e de sua família começou no domingo (1º) quando a dona-de-casa, que tinha dois filhos – um de 12 e outro de 10 anos -, caiu no banheiro e bateu com a cabeça no vaso sanitário, em Irajá, no subúrbio. Ela foi socorrida por seu companheiro e levada para o hospital público, na Penha, na segunda-feira (2), depois de se queixar de enjôos e ter convulsões.
A irmã de Verônica, Alba Valéria, após apresentar queixa na Delegacia da Penha, informou que a tomografia feita na irmã constatou, segundo laudo do médico Alexandre Legara Machado, apontou um coágulo do lado esquerdo, mas o médico a operou do lado direito e a jogou na CTI, como se nada tivesse acontecido.

Deixe um comentário