Marina Silva na TV: produto novo em embalagem velha

Por Marco Bahé – acertodecontas.blog.br

Assisti com cuidado ao programa do Partido Verde que foi ao ar, ontem, com a senadora Marina Silva (AC) como garota propaganda. Para ser honesto, esperava mais. Afinal, a direção teria sido de Fernando Meirelles – diretor de Cidades de Deus, entre outros -, conforme foi noticiado por aí. A propaganda cumpriu o bê-a-bá de apresentar Marina, mas num formato surrado e muitas vezes equivocado.

Uma boa direção, por exemplo, nunca poderia ter deixado ela falando em “onguês” – linguagem só intelegível pelo movimento social. O que é mesmo que significa ”mantenedora de utopias”???

Outra pisada na bola foi apresentá-la como herdeira de Chico Mendes, sem dar referências de quem se trata. O PV acha mesmo que essa geração que tem hoje 20 anos sabe quem foi Chico Mendes?

Do ponto de vista político, o discurso de Marina pecou ao colocar em pé de igualdade os governos FHC e Lula (“O presidente Fernando Henrique e o presidente Lula deram uma grande contribuição colocando quase todas as crianças na escola”). Elogiar os dois pólos não vai fazer dela uma terceira via. Vai deixá-la sem identidade – o que será uma pena, pois ela tem muito a acrescentar no debate político de 2010.

No mais, acho que o programa acertou em dar ênfase à educação, saindo da monotemática verde. Tem também seus pontos altos, como quando Marina fala de seu primeiro dia na escola ou quando diz que deseja “um Brasil que seja socialmente justo, economicamente próspero, culturalmente diverso e politicamente democrático”.

Já falei demais. Vejam (ou revejam) vocês mesmos aí acima e tirem suas próprias conclusões.

Deixe um comentário