Saúde  

Mais um médico cubano é afastado por superdosagem

Um médico cubano do programa Mais Médicos foi  afastado nesta quarta-feira, 20, pela Secretaria de Saúde do município de  Feira de Santana, na Bahia, após ter sido denunciado na Câmara de Vereadores por ter receitado uma superdosagem a um bebê. Este não é o primeiro caso em que um médico do programa do governo federal é denunciado.

No episódio em Feira de Santana, a denúncia relata que o médico prescreveu 40 gotas da substância dipirona sódica para uma criança de um ano, que pesa 10 quilos, quando o correto seria não ultrapassar oito gotas. A criança não tomou a quantidade indicada, por desconfiança da família.

Outros casos semelhantes já aconteceram em outros estados. Em outubro, uma investigação foi aberta sobre o caso de um médico argentino por suposto erro médico, após ele ter receitado o uso de 24 comprimidos a cada oito horas para um paciente de Tramandaí, no litoral norte  do Rio Grande do Sul. A prescrição indicava o  uso intensivo do antibiótico Azitromicina 500mg, numa dose muito  superior à recomendada pela literatura médica.

Outro erro deste semana foi a prescrição de um remédio só utilizado para uso veterinário no Brasil, o metocarbamol. O secretário de saúde da cidade de Barra  do Corda, no Maranhão, afirmou que, em Cuba, o medicamento é utilizado em humanos e que a médica já foi orientada sobre os remédios permitidos.

De acordo com o Ministério da Saúde todos os médicos com registro no Brasil, inclusive os profissionais do Mais Médicos, “estão  sujeitos à fiscalização estabelecida pelo Conselho Regional de Medicina  em que estiverem inscritos, conforme legislação aplicável”.

Fonte: opiniaoenoticia.com.br

Deixe um comentário