Lula em paz: Luciano Huck não é candidato

.
Por Claudio Carneiro – Opinião&Notícia
.
O ex-presidente Luís Inácio Lula da Silva já pode procurar outro candidato para polarizar, com vistas às eleições de outubro de 2018 – que promoverão a dança das cadeiras no Poder Executivo do país. Em artigo publicado nesta segunda-feira, 27, no jornal Folha de S. Paulo, o apresentador – e até então aspirante a candidato – Luciano Huck anunciou que não pretende, pelo menos por enquanto, concorrer à vaga.

“Com a mesma certeza de que neste momento não vou pleitear espaço nesta eleição para a Presidência da República, quero registrar que vou continuar, modesta e firmemente, tentando contribuir de maneira ativa para melhorar o país”, diz o texto muito bem escrito.

Nada impede, no entanto, que Luciano esteja evitando apenas a “loucura, loucura, loucura” deste momento pré-eleitoral em que o cenário político do país está – não somente indefinido – como caótico. Lula sabe que política é como uma cachaça – tão difícil de tragar quanto de largar – e que Huck pode estar usando a estratégia do ex-governador mineiro Magalhães Pinto, que dizia: “Política é como nuvem. Você olha e ela está de um jeito. Olha de novo e ela já mudou”.

Luciano e a sedução das sereias

Em todo caso, Lula deve “colocar as barbas de molho”. Como potencial candidato – que efetivamente é – o apresentador do “Caldeirão” cita a obra “Odisseia”, de Homero: “nos últimos meses estive amarrado ao mastro, tentando escapar da sedução das sereias”. Que a esposa Angélica não o interprete mal.

Adotando o estilo Chaves – não o do ex-presidente da Venezuela, mas o do personagem humorístico da TV mexicana – do “sem querer querendo”, Luciano admitiu, no entanto, que a candidatura tinha apoio de familiares e de amigos. “Mas me considero mais útil e potente para ajudar meu país e o nosso povo a se mover para um lugar mais digno ocupando outras posições no front nacional”.

Assim, o eterno candidato petista e 35º presidente do país – que disputa votos para o cargo desde 1989 (há 28 anos) quando perdeu as eleições para Fernando Collor – não terá alguém com o logotipo da Globo na testa (nas palavras dele) concorrendo ao Planalto. Esta semana, segundo o Instituto Ipsus, Luciano Huck apresentara índice de aprovação de 60% – e rejeição de 30%. Lula, por sua vez, aparecia na pesquisa com 43% de avaliação positiva e 56% de negativa.

Com a retirada de cena do apresentador de TV, Lula deverá voltar suas baterias para os assumidamente políticos Jair Bolsonaro e João Dória, mesmo que também o incomode a sombra de um “outsider”, como o ex-presidente do Supremo Tribunal Federal, Joaquim Barbosa que, na mesma sondagem, aparece em terceiro lugar – atrás de Luciano e Lula – com 42% de aprovação e 41% de rejeição.

Que as nuvens de Magalhães Pinto não tragam mais tempestades políticas para o país.

Deixe um comentário