Brasil  

Lula diz que o povo não acredita mais em falsas promessas dos políticos

Ivan Richard
Repórter da Agência Brasil

Brasília – O presidente Luiz Inácio Lula da Silva disse há pouco, em Ipojuca (PE), onde participou da cerimônia alusiva ao início das operações de uma fábrica de fios de poliéster, que o povo não acredita mais nas “mentiras da televisão nem nas falsas promessas” dos políticos. Para Lula, por essa razão o país não deve mais enfrentar o problema do desemprego como o ocorrido na década de 1970.

Novamente, Lula criticou os seus antecessores que, segundo ele, governavam apenas para um terço da população. “Hoje, no Brasil, são 14 milhões e meio de pessoas que arrumaram emprego com carteira assinada e nunca mais esse país vai formar duas gerações e meia, como no final os anos 1970, de homens e mulheres que não tinham oportunidade de estudar e trabalhar. Agora, esse país tem autoestima, as pessoas começaram a ficar exigentes, porque teve governante que achava que era obrigado a governar para um terço da população e não para todos”, discursou Lula.

Para Lula, o presidente deve governar como fazem as mães, que dividem a comida de forma igual para todos os filhos. “Antigamente no Brasil, alguns tinham o que comer e o que beber e outros não tinham e ficavam marginalizados. Isso mudou, porque o Brasil agora é governado para todos. E isso não vai parar nunca mais, porque o povo tem cabeça e não acredita mais nas mentiras da televisão nem nas falsas promessas da televisão”, disse o presidente.

Lula ressaltou que a fábrica de fio de poliéster é a maior planta integrada de produção do produto nas Américas e que a produção vai suprir a demanda nacional dos fios. “Sua instalação é fundamental para a indústrial têxtil brasileira. A partir dessa indústria petroquímica outras indústrias têxteis virão para Suape. Embora o Brasil tenha o algodão da mais alta produtividade do mundo, não contava com uma fábrica de fio de poliéster de qualidade.

De acordo com Lula, quando estiver com a capacidade máxima de produção “a fábrica abrirá cerca de oito mil postos de trabalho e proporcionará uma economia de US$ 1 bilhão de dólares, que ficarão no Brasil, porque o país não vai mais importar poliéster”.

Em seu discurso, Lula lembrou ainda a construção do gasoduto ligando os municípios pernambucanos de Pilares e Ipojuca e a refinaria Abreu e Lima. Essa última, disse Lula, recebeu investimento de R$ 26,7 bilhões de investimentos da Petrobras.

Edição: Antonio Arrais

Deixe um comentário