Lula diz que eleição de Dilma é redenção para mulheres

Queremos começar a ser a redenção das mulheres no Brasil e no mundo e, para isso, ela tem que ser eleita presidente da República”, afirmou Lula…

Principal cabo eleitoral da petista Dilma Rousseff na corrida pelo Palácio do Planalto, o presidente Luiz Inácio Lula da Silva utilizou o primeiro comício do segundo turno, na cidade-satélite de Ceilândia, no Distrito Federal, para defender a escolha da petista como concorrente governista à presidência da República. Ele citou a luta histórica para que as mulheres pudessem ter direito a voto.

Lula ainda relembrou como apontou Dilma a sua potencial sucessora e pediu que a militância se mobilize até o dia 31 de outubro e evite a aproximação de adversários, como o tucano José Serra (PSDB).

“A gente não pode achar que tem eleição ganha antes do dia da eleição, ficar em casa, guardar nossa bandeira porque daqui a pouco o povo adversário está ocupando. Se a gente começa a contar a vitória antes do tempo, acontece o que aconteceu com o Fluminense e o Corinthians antigos líderes do Campeonato Brasileiro de futebol.

Não tem como eleger se a gente não transformar a eleição dele do candidato em uma profissão de fé. A partir de agora, não vamos tirar mais nossas camisas, bandeiras e adesivos”, disse.

“A gente vai olhar para nossa companheira mulher e não vamos dizer que gosta dela porque ela vai lavar a panela. A gente vai lavar a panela para ela. A gente vai ser menos autoritário e mais companheiro.

Queremos começar a ser a redenção das mulheres no Brasil e no mundo e, para isso, ela tem que ser eleita presidente da República”, afirmou Lula, que voltou a reconhecer que Dilma ficou “chateada” por não ter liquidado a eleição no primeiro turno.

“Você também ficou chateada: ‘por que eu não ganhei no primeiro turno’? Só pode ser o dedo de alguém lá de cima. Conheço a Dilma há muito tempo e conheço o seu adversário há muito tempo.

Não tenho dúvida, é muito mais competente que seu adversário”, explicou Lula ao eleitorado do DF ao enfatizar a importância de uma mulher se tornar chefe máxima do executivo federal.

“Que diabo esse Lula com tanto macho perto dele, com tanto macho que cerca ele a vida inteira, foi escolher uma mulher para ser presidente da República? Poderia ter escolhido um deputado, um senador, um governador. Hoje, estou convencido que a minha decisão foi certa. No primeiro turno 67% do povo brasileiro falou que queria votar em uma mulher para presidente da República.

Ela é a representação maior que as mulheres já tiveram na política brasileira”, disse o presidente ao combater a suposta falta de experiência política da ex-ministra da Casa Civil e, explicando que Dilma não tem “vícios” de políticos com carreira mais longa.

“Ela não tinha os vícios que muitos candidatos já tiveram. Ela tinha um vício que eu gosto, que é o vício de trabalhar, da dedicação e da competência, de ser melhor que seu adversário na disputa de 2010.

Os defeitos que alguns acham que a Dilma tem, na minha opinião, são as virtudes para as quais eu e vocês já a escolhemos no primeiro turno”, completou o presidente no comício na cidade de Ceilândia, um dos maiores colégios eleitorais do Distrito Federal.

“Já começo a sentir um pouco de saudade cada vez que eu falo. Oito anos é muito longo para quem faz oposição, mas para quem está no governo não é nada. Agora que eu aprendi a governar.

Vou sair do governo com uma sensação de coisa boa, essa relação que eu estabeleci com o povo brasileiro. Tenho a certeza de que nós iremos criar um outro patamar para esse País. A Dilma sabe como fazer, vai fazer mais e melhor”, afirmou.

Agnelo Queiroz

Ao pedir votos também para o candidato do PT ao governo do Distrito Federal, Agnelo Queiroz, Lula relembrou a recente crise política que passou Brasília. Ele disse que cada parlamentar eleito precisa trabalhar para eleger os novos gestores no segundo turno.

“Votar em você Agnelo, é a gente recuperar a autoestima desse povo porque esse povo está cansado de ver fotografia e reportagem de deputado levando propina enquanto o povo fica passando necessidades e privações.

Você precisa ser moralizador. É importante que a gente fique atento. A gente tem o melhor candidato, o mais comprometido candidato. Cada deputado eleito tem que ir para rua como se não tivesse sido eleito. Não tem moleza. Se a gente parar para respirar, o adversário vem pra cima da gente”, alertou o presidente.

Fonte: votebrasil.com
Laryssa Borges – Direto de Brasília

Deixe um comentário