Mundo  

Lula culpa governos de direita pela crise financeira que atinge parte da Europa

Renata Giraldi
Carina Dourado*
Repórteres da Agência Brasil

Brasília e Madri – O presidente Luiz Inácio Lula da Silva afirmou hoje (18) que a direita é responsável pela crise financeira que atingiu parte da Europa. Na conversa com o primeiro-ministro da Grécia, Georga Papandreou, Lula disse que a direita produz as crises, mas a esquerda é que sofre as consequências, ao se ver obrigada a “cortar salários”.

“Essa crise não é da esquerda. Sabe o que me deixa constrangido? É que a direita faz as crises e depois a esquerda tem que fazer o corte nos salários, que eles não fizeram”, disse o presidente, que participa da 6ª Cúpula União Europeia, América Latina e Caribe, em Madri. “Por isso que eu acho que tem um debate político e não apenas econômico.”

Em tom de desabafo, Papandreou acrescentou: “E ainda somos responsáveis pela crise”. Dos europeus, a Grécia é o país mais afetado pelas consequências da crise financeira. Foi obrigada a pedir empréstimo à União Europeia e ao Fundo Monetário Internacional (FMI) para evitar o agravamento das tensões entre os gregos.

Lula e Papandreou conversaram hoje por cerca de 40 minutos. A conversa ocorre no momento em que a União Europeia e o Fundo Monetário Internacional se comprometeram a enviar um total de 110 bilhões de euros para evitar a ampliação da crise para outras regiões da Europa. Os recursos chegam à Grécia no mesmo dia em que o país precisa pagar 8 bilhões de euros a credores internacionais.

Antes do encontro com Papandreou, Lula disse na abertura da cúpula que o Brasil adotou medidas de estímulo ao consumo para evitar a contaminação da crise financeira mundial no país. A solução, apresentada pelo presidente, foi elogiada por autoridades presentes inclusive o presidente do Banco Interamericano de Desenvolvimento (BID), Luis Antonio Moreno.

*Enviada especial

Edição: Talita Cavalcante

Deixe um comentário