Lula conseguiu criar fenômeno político

Especialistas já falam abertamente de uma possível “mexicanização” da política brasileira, e comparam o PT ao PRI ( Partido Revolucionario Institucional), que esteve à frente da política mexicana por 70 anos.

A revista norte-americana Newsweek publicou na última semana artigo sobre as eleições no país. O texto diz que o popular presidente Luiz Inácio Lula da Silva fez tudo o que a lei permitia, e até um pouco mais (já que foi multado algumas vezes), para destacar sua protegida, a candidata à Presidência Dilma Rousseff (PT). O resultado é o surgimento de um fenômeno político, poucas vezes visto na política “vulcânica” da América Latina.

O artigo compara Lula e Dilma e diz que, enquanto o primeiro sabe lidar bem com as multidões, a candidata “é uma tecnocrata”. A revista chega a cita falas de adversários da petista, que a chamam de “poste de telefone”.

A maior preocupação com relação à eleição de Dilma não é a possibilidade de ela levar a política nacional para a esquerda. Apesar de ser uma ex-guerrilheira marxista que foi presa e torturada pela ditadura militar, diz a revista, ela está cercada por moderados, como Antonio Palocci.

Segundo o texto, ela tem propostas de colocar rédeas no sistema previdenciário brasileiro, o que é encarado pelos esquerdistas como uma política neoliberal. O trunfo da campanha é conseguir apoio de empresários e indústrias poderosas.

O risco da eleição da petista, aponta o texto, é ter de dividir o governo com “meia dúzia de partidos”, sem programa e com grande apetite por cargos. O texto cita desafios da economia brasileira, como altos impostos, mas diz que, com a diminuição do desemprego, o crescimento da classe média e o enfraquecimento da oposição, eles parecem distantes.

A matéria lembra ainda, há oito anos, o Brasil passou por um teste de sua democracia, com a eleição do atual presidente, vindo da classe trabalhadora. O mundo acabou impressionado com o comando da maior nação latino americana – a manutenção de uma política moderada e economia prudente.

Especialistas já falam abertamente de uma possível “mexicanização” da política brasileira, e comparam o PT ao PRI ( Partido Revolucionario Institucional), que esteve à frente da política mexicana por 70 anos.

– O Brasil do século 21 é uma das democracias mais resistente do mundo em desenvolvimento. Mas o ciclo político que vem irá testar esta democracia emergente.

Segundo o cientista político Bolívar Lamounier estamos correndo o risco de se tornar um país de partido único, dominado por uma coalizão de governo único.

Fonte: votebrasil.com

Deixe um comentário