Lindbergh Farias tem bens bloqueados pela Justiça

Ex-prefeito é acusado pelo MPE de contratar uma empresa de forma ilícita para realizar obras de saneamento na cidade, entre 2005 e 2006.

Ao lado de outras oito pessoas, o senador Lindbergh Farias (PT-RJ) teve os bens bloqueados pela Justiça. Lindbergh é réu em um processo onde está sendo acusado de improbidade administrativa, relativo à época em que estava à frente da Prefeitura de Nova Iguaçu. O ex-prefeito é acusado pelo Ministério Público Estadual de contratar uma empresa de forma ilícita para realizar obras de saneamento na cidade, entre 2005 e 2006.

Em junho desse ano o bloqueio foi decretado pela juíza Maria Aparecida Silveira de Abreu, da 1ª Vara Cível de Nova Iguaçu. Porém, os advogados do senador ingressaram com recurso pedindo a anulação da sentença. A ação civil pública é movida pelo Núcleo de Nova Iguaçu da 3ª Promotoria de Justiça de Tutela Coletiva.

O Ministério Público acusa a prefeitura e a Companhia de Desenvolvimento de Nova Iguaçu (Codeni) de terem contratado de forma ilícita a empresa Rumo Novo Engenharia para obras de saneamento, no ano de 2005 e no primeiro semestre de 2006.

De acordo com os promotores a Rumo Novo era “uma sociedade de fachada” e um dos proprietários, Francisco de Assis Martins Pinto, era primo do então secretário municipal de Obras, Rogério Martins Lisboa. Ambos respondem também como réus no processo.

Por meio de tomada de preços, a Rumo Novo venceu oito contratos que totalizavam R$ 5,9 milhões, apesar de não ter equipamentos e empregados próprios.

Fonte: monitormercantil.com.br

Deixe um comentário