Líder do governo na Câmara defende recesso branco a partir de junho

Luciana Lima
Repórter da Agência Brasil

Brasília – O líder do governo na Câmara, Cândido Vaccarezza (PT-SP), disse que a Casa terá somente mais três semanas de trabalho efetivo antes das eleições e da Copa do Mundo. Ele defende a antecipação do chamado “recesso branco” com esforços concentrados para votação de algumas matérias.

O esforço concentrado ocorre geralmente em anos eleitorais após o recesso de julho. Para poder entrar no recesso é preciso que o Congresso Nacional aprove até a Lei de Diretrizes Orçamentárias (LDO). A ideia do líder do governo e ter a LDO aprovada até o dia 10 de junho.

“Além do período eleitoral, não podemos esquecer que neste ano tem a Copa do Mundo. Vou propor que façamos um acordo para votar a LDO no dia 10 de junho e, a partir disso, nós vamos poder funcionar em esquema de esforço concentrado”, disse o líder.

Até lá, Vaccarezza defende a votação de sete medidas, e de outros projetos como o que cria a União das Nações Sul-Americanos (Unasul) e a proposta que trata da banda larga nas escolas. A proposta de aumento para servidores do Judiciário, defendida por ministros dos tribunais superiores, na opinião do líder, não deve entrar na pauta de votação, apesar dos pedidos dos magistrados.

Vaccarezza chegou a citar países em que existem recessos formais durante o período eleitoral ou pelo menos a proibição de se votar matérias financeiras em ano eleitoral, como ocorre nos Estados Unidos.

Edição: Rivadavia Severo

Deixe um comentário