Líder do governo diz que senadores defendem reajuste de 7,7% para aposentados

Mariana Jungmann
Repórter da Agência Brasil

Brasília – O líder do governo no Senado, Romero Jucá (PMDB-RR), voltou a afirmar que os senadores defendem um reajuste de 7,7% para os aposentados que ganham mais de um salário mínimo. Após reunião com o ministro das Relações Institucionais, Alexandre Padilha, Jucá disse que irá esperar que a medida provisória sobre o assunto seja votada na Câmara dos Deputados para rever o assunto com os senadores da base aliada. A MP já está trancando a pauta da Câmara.

Na semana passada, o líder chegou a fechar um acordo com deputados, senadores e líderes sindicais para que o reajuste fosse de 7,7%, mas não conseguiu convencer o governo, que já tem acordo na Câmara fechado para 7%. “A questão dos aposentados está na Câmara. Nós dissemos ao ministro qual é a posição do Senado, que entende que o melhor reajuste é de 7,7%. É claro que nós vamos primeiro ouvir a Câmara e vamos tomar uma posição de governo aqui. Mas nós estamos articulando com a área econômica para tentar chegar ao valor maior”, disse o líder.

Mais cedo, o ministro da Previdência Social participou de audiência pública na Comissão de Assuntos Sociais do Senado e disse que a mudança dos 6,14% de reajuste, propostos pelo governo inicialmente, para os 7% acordados com a Câmara já tem impacto de R$ 1,2 bilhão anuais nas contas públicas. Caso fosse aprovado o reajuste de 7,7% proposto pelos senadores, seriam mais R$ 700 milhões anuais pelos próximos 15 anos.

Deixe um comentário