Líder do DEM pede CPI para o caso Telebrás

Fonte: opiniãoenoticia.com.br

Paulo Bornhausen, líder do DEM, defendeu a criação de uma comissão parlamentar de inquérito a fim de investigar a reativação da Telebrás. A CPI também deve investigar as denúncias de favorecimento ao ex-ministro José Dirceu e amigos, envolvidos na utilização da rede Eletronet no Plano Nacional de Banda Larga.

A denúncia contra Dirceu é de que ele teria recebido pelo menos R$ 620 mil do principal grupo empresarial beneficiado, caso a Telebrás seja reativada. O dinheiro foi pago pelo empresário Nelson dos Santos, dono da Star Overseas, entre 2007 e 2009.  Santos comprou participação na Eletronet, em 2005, por R$ 1 e com a reativação poderá sair com cerca de R$ 200 milhões.

Depois que Santos contratou Dirceu, o governo decidiu pelo uso de fibras ópticas da Eletronet, quase falida, no processo de reativação. Santos, porém, negou que o dinheiro pago a Dirceu tenha se destinado a lobby. Os fatos expuseram uma rede de interesses privados dentro do governo.

“A velocidade que se imprimiu a esse processo já era de se desconfiar. Nesse momento, você encontra a verdadeira razão. São os interesses de José Dirceu que, desde que foi cassado e denunciado por formação de quadrilha no Supremo Tribunal Federal, só faz lobby em negócios escusos, como esses que estão aparecendo aí”, afirmou o líder do DEM.

Bornhausen pretende conversar com líderes dos partidos de oposição, PPS e PSDB, a fim de que a CPI seja logo aberta. O parlamentar afirmou que não faz sentido reativar a empresa como operadora do Plano Nacional de Banda Larga e impedir a participação da iniciativa privada.

“A CVM precisa se manifestar sobre essa manipulação que está caracterizada agora com agentes do governo fazendo lobby para que isso aconteça. Há um grande cheiro de negociata.” O processo de reativação da empresa ainda está sendo analisado pelo governo.

Deixe um comentário