Brasil  

Lei Seca reduz número de mortes no trânsito em 6,2%

Isabela Vieira
Repórter da Agência Brasil

Rio de Janeiro – Dados do Ministério da Saúde divulgados hoje (18) mostram que, depois de um ano de vigência da Lei Seca, o número de mortes por acidentes no trânsito caiu 6,2% em comparação aos 12 meses anteriores. 

Em número absolutos, foram 2.302 mortes a menos no país no período, uma redução de 36.924 para 34.597. De todos os estados, o Rio de Janeiro foi o que mais conseguiu avanços. Registrou queda de 32% nos óbitos no trânsito, seguido pelo Espírito Santo (-18,6%) e por Alagoas (-15,8%). Mais treze unidades, além do Distrito Federal, também reduziram o índice. No próximo domingo (20), a Lei Seca completa dois anos. 

De acordo com o ministério, o risco de morrer de acidentes de trânsito no Brasil também diminuiu 7,4% no ano seguinte à lei. Dessa maneira, a taxa de mortalidade (divisão do número de óbitos por grupo de habitantes) passou de 18,7 mortes por 100 mil habitantes para 17,3. 

Durante divulgação dos dados, no Rio, o ministro da Saúde, José Gomes Temporão, disse que o país chegou a um ponto “dramático” em termos de morte no trânsito e que políticas educativas não eram suficientes para combater o problema. “Foi preciso uma lei rigorosa para que a população abrisse os olhos”, afirmou. “A sociedade precisava de um pai, de um limite.” 

O ministro também comentou a situação de estados que não conseguiram frear os acidentes ou apresentaram pouca redução, como São Paulo, cuja queda foi de 6,5%. “É preciso que se esforcem mais. Peço para que olhem para o Rio de Janeiro. Os estados podem aprender com a experiência dos demais”, completou em relação a programa do governo fluminense. 

Mesmo insatisfeito com os congestionamentos que as blitzen provocam no trânsito durante à noite, o motorista carioca Álvaro Neto acredita que a Lei Seca reforça o consenso de que beber e dirigir é uma irresponsabilidade. “As pessoas ficaram mais conscientes depois da lei. Vemos muita gente adotando o amigo da vez – aquele que não bebe e é responsável por conduzir os amigos.” 

Criada em 20 de junho de 2008, a Lei Seca determina que motoristas flagrados com níveis de álcool de até 2 decigramas por litro de sangue podem ser detidos de 6 meses a 3 anos, estão sujeitos à infração gravíssima de trânsito com multa de R$ 957,70, além da suspensão do direito de dirigir. 

Edição: Lílian Beraldo

Deixe um comentário