Lei dos royalties fecha portas para Olimpíadas, diz Cabral

Fonte: opiniaoenoticia.com.br

O projeto que altera as regras de distribuição dos royalties do petróleo, aprovado nesta terça-feira, 6, na Câmara dos Deputados, vem causando muita polêmica. O governador do Rio agora diz que, sem royalties, a Copa de 2014 e as Olimpíadas de 2016 estão ameaçadas.

De acordo com Sérgio Cabral, as mudanças vão impôr ao Rio de Janeiro uma perda de R$ 4,6 bilhões em receitas apenas em 2013, o que, segundo o governador, pode fechar as portas para os dois megaeventos esportivos.

A presidente Dilma Rousseff disse que fará uma exaustiva análise do projeto antes de decidir sobre sua sanção, veto total ou parcial. Enquanto isso, Cabral afirma que a redistribuição dos valores que os entes da federação recebem como compensação por danos ambientais da exploração do petróleo vai levar o estado à bancarrota.

Espírito Santo: impacto de R$ 11 bilhões para o estado

 

“O projeto de lei em si gera um colapso nas finanças públicas do estado. É absolutamente inviável. O estado fecha as portas, não faz Olimpíadas, não faz Copa do Mundo, não paga servidor público, aposentado, pensionista. Enfim, sofre um abalo”, afirmou o governador do Rio, que ressaltou ainda que “a presidente vai vetar” o projeto de lei, que é “inconstitucional”.

Renato Casagrande, governador do Espírito Santo, ameaçou recorrer ao Supremo Tribunal Federal caso o Congresso derrube o veto. Casagrande calcula que as novas regras vão gerar um impacto de R$ 11 bilhões para o estado entre 2013 e 2020.

Deixe um comentário