Brasil  

Lava-Jato: delatores irão devolver R$ 175 milhões

.
timtO doleiro Alberto Youssef deverá devolver aos cofres públicos R$ 55 milhões em função dos processos abertos contra ele pela Operação Lava-Jato, da Polícia Federal (PF).

Leia mais: Youssef tem alta e retorna para a carceragem da PF em Curitiba
Leia mais: Petrobras contrata empresas independentes para apurar denúncias da operação Lava-Jato
Leia mais: Justiça absolve Youssef por lavagem de dinheiro do tráfico internacional

A devolução do montante e dos bens obtidos de forma ilícita compõem o acordo de delação premiada firmado entre Youssef e as autoridades, em troca da redução substancial das penas de prisão por desvios de verbas da Petrobras e de outras áreas da administração pública. Na última quarta-feira, 29, ele retornou a prisão após receber alta do hospital onde estava internado, em Curitiba, desde o último sábado, 25.

Até agora, os réus da Lava-Jato que decidiram colaborar com as investigações da PF já se comprometeram a devolver cerca de R$ 175 milhões. O ex-diretor de abastecimento da Petrobras, Paulo Roberto Costa, foi o primeiro a confessar sua participação nos esquemas de corrupção que envolviam políticos dos PT, PMDB e PP. Ele deverá devolver mais de R$ 70 milhões.

O executivo Júlio Camargo, da Toyo Setal, que também optou pelo acordo de delação premiada, deverá devolver aproximadamente R$ 40 milhões. Os recursos a serem recuperados até o fim do processo devem aumentar, caso algumas das empreiteiras confirmem a intenção de delação.

Representantes de empresas já sondaram sobre a possível leniência na primeira fase das investigações, porém, nada foi acordado. Segundo o Ministério Público, os novos acordos terão bases ainda mais duras.

“Não dá para fazer acordo de leniência com todas as empresas. Tem que ser acordos individuais com condições específicas”, informou uma autoridade que acompanha o caso de perto.

 

Deixe um comentário